Bolsas

Câmbio

Aston Martin entra na corrida dos carros elétricos na China

Bloomberg News

(Bloomberg) -- Para as maiores fabricantes de veículos do mundo que querem entrar na corrida pelos veículos elétricos, está difícil resistir à China.

A Aston Martin, lendária marca britânica imortalizada pelos filmes de James Bond, busca uma joint venture na China para ajudar a empresa a entrar no maior mercado de veículos elétricos do mundo, disse o CEO Andy Palmer, em entrevista, na quinta-feira. A Aston Martin não é a única. A Magna International, fabricante canadense por contrato, negocia uma aliança com a Beijing Automotive, disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

A indústria automotiva está incursionando rapidamente pelos veículos autônomos e movidos a bateria, e as principais fabricantes se preparam para desafios, o que inclui bilhões de dólares em investimentos com compensação incerta. A China, que superou os EUA e se tornou o maior mercado de veículos elétricos em 2015 graças aos subsídios governamentais e à rigorosa regulação das emissões, já se tornou um destino atraente para fabricantes como Volkswagen e Ford Motor.

"O tamanho do mercado determina tudo", disse Zhou Jincheng, analista da empresa de pesquisas sobre o mercado automotivo Fourin. "Para garantir que não perderão seu espaço no mercado, as fabricantes estão dispostas a usar parte dos lucros obtidos com veículos tradicionais para investir em veículos elétricos, que podem ser deficitários até 2025 ou 2030."

A Aston Martin não planeja produzir veículos elétricos com o emblema da marca britânica na China, mas busca colaboração para compartilhar tecnologias de materiais leves e aerodinâmicos com a parceira chinesa, enquanto a China busca melhorar o desempenho dos veículos elétricos, disse o CEO Palmer. Há negociações em andamento com fabricantes de veículos consolidadas e startups, disse, em Pequim.

Mas outras fabricantes se associaram a empresas locais para produzir na China. Neste ano, a Volkswagen deverá lançar o primeiro carro elétrico de fabricação doméstica por meio de uma aliança com a Anhui Jianghuai Automobile Group, enquanto a Ford formou aliança com a Anhui Zotye Automobile para fabricar e vender uma linha de veículos elétricos.

A venda de veículos de nova energia na China poderá superar 700.000 unidades em 2017 e 1 milhão em 2018, segundo a Associação de Fabricantes de Automóveis da China.

Na quarta-feira, a Aston Martin anunciou uma iniciativa comercial e de investimento de cinco anos avaliada em mais de 600 milhões de libras (US$ 856 milhões). A empresa atualmente importa modelos como o Vantage para vender na China.

A fabricante chinesa de baterias Contemporary Amperex Technology, ou CATL, está em uma lista de fornecedoras de baterias avaliadas pela Aston Martin para seu primeiro carro esportivo elétrico, disse Palmer. Algumas regulações específicas da China para as baterias dão uma vantagem competitiva às fornecedoras locais.

No caso da Magna, as discussões variam de uma parceria igualitária com a Beijing Auto para a cooperação em áreas como fabricação e fornecimento de peças, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque as negociações são privadas. A Beijing Auto é dona da Beijing Electric Vehicle, ou BJEV, a maior fabricante de veículos elétricos da China.

As negociações são preliminares e podem não terminar em acordo. Representantes da Beijing Auto e da Magna preferiram não comentar o assunto.

Título em inglês:
Aston Martin Latest at China's Doorstep as Electric Cars Beckon

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos