ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 1.Ago.2018
Topo

BHP espera vender mina chilena nas próximas semanas ou meses

Danielle Bochove e Keith Gosman

06/03/2018 12h25

(Bloomberg) -- A BHP Billiton não desistiu de vender sua mina de cobre Cerro Colorado, no Chile, e continua conversando com possíveis compradores, disse o presidente de operações minerais para as Américas, Daniel Malchuk, na segunda-feira.

A empresa com sede em Melbourne, na Austrália, espera a conclusão do processo nas próximas "semanas ou meses", disse em entrevista nos bastidores da conferência da Associação de Prospectores e Desenvolvedores do Canadá, em Toronto. No entanto, ele advertiu que qualquer venda "precisa ter um preço que proteja o valor para os nossos acionistas".

Não há prazo final ou data para encerramento do processo, disse.

A venda do ativo faz parte da proposta do CEO Andrew Mackenzie de se concentrar em grandes ativos em commodities como minério de ferro, petróleo e cobre. A Cerro Colorado é a menor mina da BHP no Chile e, segundo Malchuk, faz mais sentido que outro proprietário a assuma e execute trabalhos para prolongar sua vida útil.

Em agosto, a BHP informou que a venda estava em estágio final, mas quase seis meses depois nenhum anúncio foi feito. A licença ambiental da Cerro Colorado termina em 2023 e depois desse período novos termos precisariam ser negociados para o uso da água. Indagado se essa situação explicava o atraso, Malchuk disse que todas as partes estão cientes da data de 2023, o que será levado em conta nas propostas.

Negociações salariais

A BHP também se prepara para negociações salariais na gigantesca mina de cobre Escondida, no Chile. As negociações devem começar até 1o de junho, dois meses antes do término do contrato atual, disse Malchuk. No entanto, a empresa tem expectativas de que o sindicato esteja disposto a iniciar a negociação antes, disse Malchuk, porque negociações adiantadas oferecem uma chance melhor de um "diálogo completo".

É provável que ambos os lados tenham feito um "exame de consciência", disse, já que no ano passado as negociações terminaram sem acordo, o que provocou uma greve de 44 dias. Além disso, os preços mais altos do cobre criaram expectativas maiores não apenas entre os trabalhadores no Chile, mas também no governo, disse ele.

Ao mesmo tempo, a empresa leva adiante os planos de vender um pacote de ativos de xisto e, com base no nível de interesse e nos preços atuais das commodities, segundo ele, a venda pode ser concluída um pouco antes que a meta de dois anos sobre a qual o CEO falou anteriormente.

A BHP está preparada para oferecer os recursos em até sete pacotes, três deles na valiosa bacia de Permian, disseram pessoas com conhecimento dos planos da produtora, em fevereiro. A empresa avalia os ativos em US$ 10 bilhões ou mais, mas poderia avaliar uma troca de áreas onshore nos EUA por poços offshore no Golfo do México, segundo as pessoas.

--Com a colaboração de David Stringer Laura Millan Lombrana R.T. Watson Javier Blas e Kevin Crowley

Mais Economia