ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Ação judicial põe em perigo paraíso de criptomoedas na Suíça

Hugo Miller

07/03/2018 14h47

(Bloomberg) -- Nem tudo está tão bem em Crypto Valley.

Um dos projetos de moedas digitais de mais alto perfil na Suíça, um dos países mais entusiastas na promoção de criptomoedas, está sendo alvo de críticas internas e externas do setor devido a acusações de marketing falso e má administração, que levaram o presidente do projeto a pedir demissão.

Agora, a Tezos Foundation, que arrecadou US$ 232 milhões em uma emissão inicial de moedas (ICO, na sigla em inglês), está mergulhada na mais americana das atividades: uma série de processos judiciais.

A arrecadação de capital da organização sem fins de lucro promovia um modelo totalmente novo para a tecnologia de blockchain, que é a base das criptomoedas. Um grupo de investidores afirma em um tribunal da Califórnia que os organizadores da oferta comercializaram de forma enganosa a aquisição de tokens "Tezzie" como parte de uma doação de caridade, o que deixaria os investidores com as mãos vazias se o projeto fracassar.

A Suíça ocupa o segundo lugar, depois dos EUA, em capital levantado em ICOs e a maioria das transações é realizada por um grande número de estrangeiros que vão à Suíça, segundo um relatório publicado em 2017 pela investidora de capital de risco Atomico. Este caso tem amplas consequências para o futuro da Suíça como plataforma de lançamento de ICOs.

"Será que o juiz vai aceitar a versão de que isto era como fazer doações para uma rádio pública e que tudo o que você ganhava era uma sacola, ou que era um investimento em que todos esperavam um retorno?", diz Stephen Palley, advogado e diretor do setor de criptomoedas da firma de Anderson Kill em Washington. "A estrutura foi mal utilizada e a época em que os empreendedores de tokens iam à Suíça para abrir fundações suíças provavelmente acabou."

Investigações

A ação judicial iminente chega em um momento em que o órgão regulador financeiro da Suíça, a Finma, tenta moderar o entusiasmo do governo em relação às criptomoedas. O ministro da Economia da Suíça, Johann Schneider-Anmann, foi a Zug para apoiar o Crypto Valley, mas em fevereiro a Finma emitiu diretrizes para lembrar aos investidores que as normas contra a lavagem de dinheiro serão aplicadas às ICOs da Suíça. O órgão regulador organizou duas mesas-redondas com os investidores para discutir como essas diretrizes afetarão as ICOs em Zug e Genebra em 14 e 21 de março, eventos que já estão totalmente lotados.

Oliver Bussman, que trabalhou para fundar o Crypto Valley e hoje dirige uma assessoria de criptomoedas em Zug, diz que as diretrizes irão dissuadir empreendedores desonestos e darão mais certezas a investidores legítimos.

"Eles têm que proteger os investidores, mas não podem fechar o capital de risco", disse Bussmann. "A Suíça nem sempre teve muito acesso a capital de risco e as ICOs dão acesso a isso."

--Com a colaboração de Jennifer Bennett

Mais Economia