ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

O que diferença salarial de gênero diz sobre desempenho: Gadfly

Elaine He

15/03/2018 14h53

(Bloomberg) -- À medida que se aproxima o dia 4 de abril, prazo para que as empresas britânicas divulguem suas diferenças salariais entre gêneros, aumenta a quantidade de relatórios apresentados e eles confirmam a triste realidade de que os homens tendem a receber salários mais altos do que o das mulheres.

Apenas cerca de um quinto das empresas que devem apresentar seus dados salariais entregou o relatório. Das aproximadamente 1.800 entidades que haviam apresentado até sexta-feira, menos de 100 eram empresas negociadas em bolsa ou suas subsidiárias.

Para essas entidades, que estão muito mais expostas à opinião pública, é gritante como os homens dominam os quartis de remuneração médio alto e o mais alto. Embora existam variações entre os setores -- as diferenças tendem a ser maiores em finanças e menores em bens de consumo básicos --, a comunidade empresarial do Reino Unido é, em grande medida, um reduto masculino.

Isso levanta a questão de saber se existe alguma conexão entre as diferenças salariais de gênero e o desempenho, medido em termos de retornos totais. Os dados apresentados até agora mostram poucas relações entre os dois. Isso sugere que a liderança dos homens não é um pré-requisito para o bom desempenho -- as empresas mostram retornos que vão de resultados verdadeiramente deploráveis até outros maravilhosos.

Dados mostram uma relação praticamente plana entre as diferenças salariais e os retornos totais em um ano e também em cinco anos.

Esta análise é preliminar. Milhares de outras empresas do Reino Unido ainda não apresentaram seus relatórios e o panorama poderia mudar à medida que forem chegando novos dados.

Mas não é cedo para analisar por que há tão poucas mulheres em posições de poder. As empresas têm falado sobre seus compromissos em promover mulheres junto com seus tremendos relatórios sobre salários exigidos pelo governo.

No entanto, as mulheres têm menos probabilidades do que os homens de serem incentivadas a assumir mais responsabilidades ou de serem compensadas por realizar um bom trabalho, de acordo com uma pesquisa de YouGov. E elas têm maior probabilidade de terem que responder a perguntas sobre seu compromisso com o empregador.

Dada a nova transparência dos relatórios salariais, talvez agora haja margem para ver melhorias mensuráveis no número de mulheres no comando das empresas britânicas.

Esta coluna não reflete necessariamente a opinião da Bloomberg LP e de seus proprietários.

Mais Economia