Bolsas

Câmbio

McLaren não pretende imitar Ferrari e entrar no futuro elétrico

Hannah Elliott

(Bloomberg) -- Não é comum que o diretor de uma grande fabricante de automóveis admita não estar atualizado sobre a tendência mais recente da indústria.

Joylon Nash não se preocupa com isso.

Na semana passada, em Genebra, o diretor de vendas globais da McLaren Automotive disse que sabia "muito pouco" sobre a Fórmula E, a categoria de automobilismo com carros elétricos que muitas outras marcas (Audi, BMW, Jaguar, Porsche, Renault, para mencionar algumas) apoiam contundentemente desde que se expandiu no ano passado.

Perguntei-lhe o que pensava em geral sobre os conjuntos propulsores eletrificados no automobilismo global da Fórmula. "Para ser franco, qualquer coisa que eu pensar será bastante ignorante", disse Nash. "Eu sou um tradicionalista. Adoro ouvir o barulho de um motor em uma pista. A Fórmula E não fornece isso."

Além disso, o taciturno sul-africano disse que, apesar de que metade da frota da McLaren será híbrida no prazo de quatro anos, a empresa não produzirá um carro completamente elétrico no futuro próximo. Nem mesmo um carro para exibição ou um exercício de design conceitual.

"Nós não queremos produzir um carro só para demonstrar tecnologia -- nós não fazemos isso", disse Nash. A McLaren costuma apresentar versões limitadas e únicas de seus carros, como o Senna GTR, e não formas conceituais extremamente futuristas recheadas de espuma.

Sinceridade

Foi um momento raro de sinceridade de um chefe de vendas que não parece afetado pela atitude das fabricantes de carros de querer ter o que os outros têm quando se trata de exibir tecnologia elétrica. Muitos hesitam diante da pergunta de se e quando fabricarão algo com um conjunto propulsor totalmente elétrico; as respostas concretas geralmente são afirmativas.

De fato, das marcas menos conhecidas -- Nio e Remac -- até mainstreamers como Corvette, Mercedes-Maybach, Porsche, Rolls-Royce e mais recentemente, a Ferrari, todas anunciaram planos para fabricar conceitos totalmente elétricos ou já os estão construindo. A McLaren se mantém firme.

"No futuro imediato, não", disse Nash.

Enquanto todos os outros estão correndo para mostrar que também podem fabricar carros elétricos, a McLaren continua focada no relacionamento com sua pequena e devota clientela, em grande parte obcecada pelo automobilismo. São boy racers e fãs da F1 que rejeitariam qualquer produto que sacrificasse a velocidade e o atletismo em nome da energia alternativa (é preciso destacar que a Fórmula E está se popularizando e que muitas outras empresas além da McLaren disseram que participar fortalece suas marcas).

"A McLaren é uma empresa muito ágil. Mesmo que não estejam planejando avançar com a eletrificação total no momento, estão na vanguarda do que está ocorrendo no setor de eletrificação", diz Ian Fletcher, diretor de análise automotiva da IHS Markit. "E, de qualquer maneira, nunca se pode dizer nunca no espaço automobilístico. Todo mundo está protegendo suas apostas."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos