Bolsas

Câmbio

Alta do preço do lítio pode impulsionar negócios no setor

David Stringer, Jack Farchy e Crystal Tse

(Bloomberg) -- O preço do lítio triplicou em três anos, o que poderia desencadear uma série de transações multibilionárias enquanto os principais nomes do setor disputam o domínio da oferta do metal necessário para a revolução dos veículos elétricos a bateria.

Projeta-se que a China encabeçará uma onda de fusões e aquisições porque suas empresas tentarão conquistar um maior controle do mercado em detrimento das rivais ocidentais. O país asiático representou mais de metade das vendas globais de veículos elétricos no ano passado, quando superou 1 milhão pela primeira vez. E isso é só uma amostra do que virá, sendo que o governo estipulou a meta de 7 milhões de veículos para 2025.

"Haverá muita atividade neste ano, principalmente por parte dos chineses", disse Chris Berry, analista de metais de energia em Nova York e fundador da House Mountain Partners, por e-mail. "A consolidação necessária neste espaço vai começar a acontecer agora."

A maior fornecedora da China, Ganfeng Lithium, pretende usar o arrecadado com uma abertura de capital planejada em Hong Kong para prolongar uma série de aquisições. A empresa poderia captar cerca de US$ 1 bilhão, segundo uma pessoa com conhecimento dos detalhes, que pediu anonimato porque a informação é privada. O número de ações e fundos a arrecadar não foi definido e depende da aprovação dos órgãos reguladores, disse na terça-feira um funcionário da empresa.

Candidatos, incluindo a Tianqi Lithium, estão avaliando ofertas por uma participação de US$ 4 bilhões da Nutrien na gigante sul-americana do lítio Soc. Química & Minera de Chile. A Tianqi tem considerado uma venda de ações em Hong Kong que poderia levantar até US$ 500 milhões, disseram pessoas a par do assunto no início do mês. A Shaanxi J&R Optimum Energy conversou sobre uma potencial aquisição com uma nova mineradora australiana.

A Albermarle, a maior produtora do mundo, anunciou neste mês que também tem capacidade para realizar novas compras. A FMC, com sede em Filadélfia, planeja separar sua unidade de lítio, uma das cinco maiores produtoras do metal, no terceiro trimestre deste ano, em uma transação que, segundo a empresa, poderia avaliar a unidade em US$ 3 bilhões.

A busca de transações está gerando preocupações com a concorrência. No começo do mês, a agência do governo chileno Corfo pediu à Procuradoria Econômica Nacional que as autoridades antimonopólio impeçam a venda da participação na SQM a qualquer empresa estatal chinesa.

Amadurecimento

Um colapso dos preços continua sendo improvável, porque os novos projetos terão dificuldades para fornecer a produção planejada, segundo a Bloomberg New Energy Finance. Os analistas continuam subestimando a dimensão da demanda na China e na Coreia do Sul, disse Ken Brinsden, CEO da Pilbara Minerals, em entrevista nesta quarta-feira. Os preços das matérias-primas com densidade para uso em baterias continuarão sendo apoiados pela demanda forte, disse ele.

A perspectiva de consolidação mostra que o setor de lítio está amadurecendo depois do recente aumento de preços, segundo Simon Moores, diretor administrativo da consultoria Benchmark Mineral Intelligence em Londres. "O setor está crescendo", disse ele. "Chegou a hora de que as grandes empresas tomem decisões."

--Com a colaboração de Laura Millan Lombrana e Winnie Zhu

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos