ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Anglo agita mercado ao interromper operações de mina brasileira

Bloomberg News

02/04/2018 14h03

(Bloomberg) -- Investidores de minério de ferro estão avaliando o impacto global de uma paralisação prolongada na mina brasileira da Anglo American após um vazamento no mineroduto, incluindo perspectivas de um estímulo para os minérios de melhor qualidade que poderia ajudar a sustentar um prêmio em relação ao material de referência.

O acidente, anunciado antes do fim de semana, pode afetar a oferta de refinados de alta qualidade, segundo Di Wang, analista da CRU Group em Pequim. Os futuros do minério de ferro de referência subiram em Cingapura e em Dalian nesta segunda-feira, mas os ganhos iniciais foram reduzidos ao longo do dia.

O minério de ferro caiu no mês passado e voltou a entrar em um bear market e a suspensão das operações do projeto Minas-Rio, da Anglo American, por pelo menos um mês é uma surpresa que obrigará os investidores a reavaliar as perspectivas. Embora a oferta da mina em 2017 tenha sido pequena em relação ao mercado transoceânico global, ela produz um material rico em ferro que registrou uma demanda forte porque a China está combatendo a poluição e as usinas buscam aumentar a produtividade.

"Isso poderia impactar a oferta de refinados de alta qualidade, especialmente se as siderúrgicas continuarem preferindo os produtos de maior qualidade, porque eles ainda têm alta lucratividade", disse Wang em Pequim. "O diferencial entre os teores de 62 por cento e 65 por cento pode ser sustentado, mas é claro que isso também depende da demanda."

A diferença entre os minérios com teor de 65 por cento e de 62 por cento cresceu para um recorde de quase US$ 25 por tonelada em outubro, segundo a Mysteel.com. Essa diferença diminuiu desde então, mas permanece bem acima dos níveis históricos. Na sexta-feira, a commodity de referência custava US$ 64,85 a tonelada e o minério com 65 por cento custava em US$ 82,25.

A Anglo American planejava produzir entre 13 milhões e 15 milhões de toneladas no Minas-Rio em 2018, contra 16,8 milhões de toneladas em 2017, de acordo com a declaração anual de resultados da empresa, publicada em fevereiro. As operações de mineração serão suspensas enquanto as verificações de segurança não forem concluídas, informou a empresa por e-mail.

O vazamento, que atingiu o mineroduto da empresa, é o segundo nas últimas semanas. Após o último acidente o Ibama afirmou que, embora a mina não tenha perdido a licença, a empresa deve tomar medidas imediatas.

A maior parte do minério do Minas-Rio tem teor de 65 por cento ou mais e é normalmente usada na fabricação de pellets, um formato altamente concentrado, de acordo com Wang. As usinas chinesas recorreram a um minério de maior teor e menos poluente devido a uma campanha do governo para reduzir a poluição e também porque estão ganhando dinheiro suficiente para pagar um prêmio.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia