ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Apple altera controles de privacidade para cumprir lei europeia

Mark Gurman e Stephanie Bodoni

02/04/2018 12h31

(Bloomberg) -- A Apple está reformulando os controles de privacidade de seus aparelhos e serviços de nuvem para cumprir as novas e rígidas regras europeias em um momento em que o Facebook enfrenta reações relacionadas à privacidade dos usuários.

A fabricante do iPhone afirmou que atualizará sua página web de gerenciamento de IDs da Apple nos próximos meses para permitir que os usuários baixem uma cópia de todos os seus dados pessoais armazenados pela empresa. O website também permitirá que os clientes corrijam informações pessoais, desativem suas contas temporariamente ou as excluam completamente. Os novos controles de privacidade foram desenvolvidos para cumprir o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados da União Europeia, que entra em vigor em 25 de maio, informou a empresa com sede em Cupertino, Califórnia.

A Apple também atualizou sistemas operacionais de iPhones e iPads, Macs e Apple TVs na quinta-feira. As novas versões têm uma tela inicial que detalha a postura da Apple em relação à privacidade e como os dados são usados em aplicativos individuais.

A atualização do iOS 11.3 para telefones e tablets também inclui a opção de desativar um recurso polêmico que tornava mais lentos iPhones com baterias mais antigas para evitar desligamentos aleatórios. Oferece também a capacidade de visualizar registros de integridade e novos emojis animados para usuários do iPhone X.

Apesar de a Apple ter feito uma apresentação prévia das mudanças de software em janeiro, os novos recursos de privacidade coincidem com as críticas ao Facebook pelo uso não autorizado de dados de clientes. Usuários, órgãos reguladores e investidores estão levantando mais perguntas sobre o que as grandes empresas de tecnologia sabem sobre seus clientes.

A Apple sempre faz propaganda da privacidade de seus aparelhos. A empresa ganha dinheiro vendendo hardware, enquanto empresas baseadas na internet, como Facebook e Google, dependem de informações detalhadas sobre os usuários para suas divisões de publicidade.

O CEO da Apple, Tim Cook, defendeu a regulação da privacidade dos usuários em uma cúpula recente, na China.

"Essa situação em particular é tão terrível e ganhou tanta importância que provavelmente seja necessário lançar uma regulação bem elaborada", disse Cook quando indagado sobre se o uso de dados deveria ser restringido após o incidente com o Facebook. "A capacidade de qualquer um de saber o que você acessa há anos, quem são seus contatos, quem são os contatos de seus contatos, de que coisas você gosta e não gosta e todos os detalhes íntimos da sua vida, do meu ponto de vista, não deveria existir."

As novas opções de privacidade da Apple baseadas na web serão disponibilizadas aos usuários na Europa no início de maio e os recursos chegarão a outros países posteriormente. Antes, os usuários podiam baixar seus dados, corrigir informações e excluir contas entrando em contato diretamente com a Apple. Esta é a primeira vez que a empresa oferece esses recursos em um único local on-line.

A página web possibilitará que os usuários baixem dados armazenados em aplicativos e serviços individuais. Eles poderão, por exemplo, baixar todas as informações armazenadas nos aplicativos Contacts e Calendar da Apple e arquivos de mídia, como fotos, e também preferências, como músicas acessadas por streaming por meio do Apple Music.

Mais Economia