Bolsas

Câmbio

Bolha dos hedge funds de criptomoedas começa a desinflar

Olga Kharif

(Bloomberg) -- Começou o juízo final dos hedge funds de criptomoedas.

A demanda e os lucros estão desaparecendo em muitos dos mais de 150 fundos que surgiram durante a espetacular ascensão do bitcoin no ano passado -- o que fez as criptomoedas chamarem a atenção de dezenas de investidores institucionais e individuais. A queda de 50 por cento no valor do bitcoin neste ano fez com que muitos investidores pensassem duas vezes. Avaliada em cerca de US$ 7.000, a moeda atingiu o nível mais baixo desde novembro.

"O capital novo perdeu força, até mesmo para um fundo de maior destaque como o nosso", disse Kyle Samani, cofundador da Multicoin Capital, com sede em Austin, no Texas, por e-mail. A Multicoin, cujo fundo entrou em operação em agosto, administra cerca de US$ 50 milhões em ativos.

Pelo menos nove fundos fecharam e alguns deles, como o Crowd Crypto Fund, excluíram websites e contas do Twitter e do Facebook. O Alpha Protocol, um fundo distribuído, publicou esta mensagem em seu website: "considerando os possíveis riscos regulatórios e de mercado, o Alpha Protocol decidiu que a melhor opção é reembolsar os contribuintes de vendas privadas".

O Polychain Capital, provavelmente o maior hedge fund do setor, que gerenciava cerca de US$ 250 milhões em setembro, decidiu em janeiro não abrir seu capital no Canadá. O bilionário Mike Novogratz cancelou o plano de lançar um fundo de criptomoedas em dezembro e transferiu seus esforços para um banco comercial focado em criptomoedas e empreendimentos baseados em tecnologias afins.

Os ganhos de mais de 1.000 por cento de alguns fundos no ano passado ajudaram a disseminar a euforia que transformou o bitcoin em assunto nas festas de fim de ano e na imprensa. Neste ano a história tem sido diferente, já que os retornos acumulam queda de 23 por cento, segundo o Eurekahedge Crypto-Currency Hedge Fund Index.

Até 10 por cento de todos os fundos de criptomoedas poderiam fechar até o fim do ano, segundo Lex Sokolin, diretor global de estratégia de tecnologia financeira da Autonomous Research. Rick Marini, sócio fundador da Protocol Ventures, que investe em fundos de criptomoedas como Multicoin e Polychain, acredita que apenas 50 fundos conseguirão levantar capital externo suficiente para ter sustentabilidade para atender investidores institucionais. O restante terá problemas.

Mesmo com a queda dos preços, continuam surgindo novos fundos, porque os otimistas estão apostando na natureza transformadora do blockchain, a tecnologia de livro-razão distribuído que serve de base para o bitcoin e para rivais como ethereum, ripple e litecoin.

Marini conta que atualmente recebe por e-mail apresentações de três novos hedge funds de criptomoedas por dia, em média. Ele normalmente se reúne com dois deles -- e planeja investir em um ou dois novos fundos no restante de 2018, disse.

"Vamos ver como fica até o fim do ano", disse Marini. "É possível que usem os bons retornos do ano passado para tentar levantar dinheiro neste ano, mas este ano será diferente."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos