Bolsas

Câmbio

Boeing cogita transformar modelos 777 usados em aviões de carga

Benjamin D. Katz e Julie Johnsson

  • Divulgação/Boeing

(Bloomberg) -- A Boeing está considerando a possibilidade de transformar aviões de passageiros 777 usados em cargueiros, uma tentativa de aproveitar uma nova demanda por frete aéreo em todo o mundo criada pelo aumento das vendas do comércio eletrônico, disseram pessoas a par do assunto.

Embora a Boeing venha estudando adaptar essas aeronaves de fuselagem larga usadas há mais de uma década, a iniciativa ganhou um novo impulso nos últimos meses, quando o transporte aéreo de cargas finalmente se recuperou da queda sofrida na época da recessão, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque o assunto é confidencial.

O novo produto também impulsionaria as vendas em uma nova divisão de serviços globais, e a Boeing pretende mais que triplicar a receita anual dessa unidade, de US$ 15 bilhões, nos próximos 10 anos.

Oferecer versões renovadas dos aviões 777-200ER expandirá o catálogo de cargueiros da Boeing, mas traz o risco de canibalizar as vendas de aeronaves novas recém-fabricadas que custam mais que o dobro do preço.

A demanda por conversões está crescendo à medida que aumentam as compras pela internet, e as empresas que transportam essas encomendas buscam alternativas de custo mais baixo para não comprar aviões novos. O frete aéreo deverá crescer 4,5% este ano, depois de ter avançado 9% em 2017, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo.

Cargueiros atuais incluem versão 737

Atualmente, a linha de cargueiros da Boeing inclui versões do 737 de corredor único e dos aviões de fuselagem larga da empresa, com exceção do 787 Dreamliner. A companhia europeia Airbus também considera expandir suas ofertas de carga com uma versão do avião A330neo de corredor duplo.

Dan Mosely, porta-voz da Boeing, preferiu não comentar os planos de adaptação do 777, mas disse que as vendas do primeiro trimestre dos aviões cargueiros de fábrica da companhia equivaleram ao dobro do total do ano passado.

"Em todo o nosso portfólio de aviões e serviços comerciais, analisamos constantemente como podemos oferecer mais valor a nossos clientes", disse ele por e-mail.

Vários cargueiros antigos da Boeing serão aposentados em breve, como o MD-11 de três motores utilizado pela FedEx e pela United Parcel Service, e isso deve pressionar a capacidade de carga nos próximos anos.

Ao mesmo tempo, os preços dos aviões 777 usados estão caindo a ponto de que eles poderiam ser adaptados de forma econômica para transportar pacotes em vez de pessoas.

Equilíbrio

Ainda assim, a decisão de reformar os aviões de passageiros antigos não é fácil. A Boeing não quer prejudicar as vendas dos cargueiros 777 construídos de fábrica, que serão fundamentais para preencher sua carteira de encomendas à medida que a empresa adotar uma linha 777X aprimorada até o início dos anos 2020.

"Eles vêm conversando sobre um programa de conversão do 200ER há mais de uma década", disse George Dimitroff, chefe de avaliação da Flight Ascend Consultancy. "O programa é factível e existe material disponível e muito barato por aí. O problema é que o custo de conversão é muito alto - estamos falando de cerca de US$ 30 milhões."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos