Bolsas

Câmbio

China inclui soja, aeronaves em retaliação a medidas de Trump

Bloomberg News

(Bloomberg) -- A China disse que cobrará uma tarifa adicional de 25% sobre as importações de 106 produtos dos EUA, incluindo soja, automóveis, produtos químicos e aviões, em resposta às tarifas norte-americanas propostas para seus produtos de alta tecnologia.

Alinhando-se em escala às tarifas propostas pelos EUA anunciadas no dia anterior, o Ministério do Comércio em Pequim disse que taxas serão aplicadas para cerca de US$ 50 bilhões em importações dos EUA. As autoridades sinalizaram que a implementação das medidas propostas dependerá dos EUA.

O passo aumenta a tensão em uma guerra comercial entre as duas maiores nações comerciais do mundo, com a mais recente ofensiva da administração Trump baseada em supostas infrações à propriedade intelectual na China. Ao visar setores de alta tecnologia que Pequim, os EUA provocaram retórica furiosa de Pequim e ameaças mais fortes de retaliação do que muitos esperavam.

"A resposta da China foi mais dura do que o esperado pelo mercado - os investidores não previram que o país cobraria tarifas adicionais sobre produtos sensíveis e importantes, como soja e aviões", disse. Gao Qi, estrategista do Scotiabank, com sede em Cingapura. "Os investidores acreditam que uma guerra comercial afetará os países e suas economias eventualmente".

Veja a íntegra da matéria em inglês

--Com a colaboração de Eric Martin Katia Dmitrieva Henry Hoenig e Tian Chen

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos