Bolsas

Câmbio

Itália está apaixonada por carros elétricos e Enel vê abertura

Chiara Albanese

(Bloomberg) -- Os italianos reconhecem algo que está na moda à primeira vista e um número cada vez maior deles considera os carros elétricos a escolha perfeita, segundo o chefe da maior empresa de serviços públicos da Europa.

A melhor dirigibilidade e a preocupação com o meio ambiente podem estar levando muitos consumidores aos veículos elétricos, mas o desejo insaciável dos italianos de estar na moda e na vanguarda também influi, disse o CEO da Enel, Francesco Starace, em entrevista, em Londres.

"Os italianos gostam de carros elétricos porque esse é um conceito novo e moderno", disse. "Além disso, eles são realmente divertidos de dirigir. Se você julgar o interesse com base nisso, o mercado italiano certamente crescerá." Starace, 62, tem dois carros elétricos, um Tesla e um BMW.

As vendas anuais de veículos elétricos novos duplicaram na Itália nos últimos quatro anos, segundo dados compilados pela Bloomberg New Energy Finance, com um crescimento médio de 14 por cento entre 2015 e 2017 na comparação trimestral. Os números estão em sintonia com a média europeia.

A Enel, que tem sede em Roma, procura explorar esse mercado crescente fechando parcerias com fabricantes de veículos como a Volkswagen para a venda combinada de estações de recarga e carros. Além disso, a empresa investirá 100 milhões de euros (US$ 124 milhões) a 300 milhões de euros na instalação de até 14.000 estações de recarga na Itália até 2022.

Novos modelos

Considerando que as principais fabricantes de veículos deverão lançar novos modelos elétricos entre 2020 e 2021, o que inclui investimentos em "fábricas de vários bilhões de euros", a principal oportunidade para a Enel poderia ser o mercado privado de estações de recarga da Itália, disse Starace. "Considerando que haja 300.000 carros elétricos, mesmo que metade necessite de estações de recarga, já será bastante."

Em outubro a Enel adquiriu a eMotorWerks, com sede na Califórnia, que fornece estações de recarga e opera outras instalações de armazenagem de energia distribuída.

Ser um dos primeiros do negócio de carros elétricos pode ser benéfico para os lucros da empresa, disse Meredith Annex, analista da BNEF em Londres.

"A recarga pública e privada de veículos elétricos representa uma grande oportunidade de impulsionar o crescimento da demanda, diversificar as receitas e desenvolver o conhecimento do lado da demanda", disse.

A empresa assinará na quinta-feira uma extensão de cinco anos da parceria com a ABB FIA Fórmula E, a primeira série de corridas com carros elétricos. Como parte do acordo, a Enel instalará em cada corrida uma minirrede que incluirá medidores inteligentes com sistemas de gerenciamento de energia. A série tem corridas em algumas das maiores cidades da Europa.

Nesta semana, no Vaticano, o papa Francisco viu em primeira mão um dos carros que competirão na próxima corrida da série.

"Com certeza" haverá uma frota cada vez maior de carros elétricos na Itália, disse Starace, acrescentando que ainda não é possível fazer projeções mais precisas. A explosão dos carros elétricos virá "talvez em 2022, talvez em 2023, e queremos ser um fator de aceleração dessa mudança".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos