ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Delta Air Lines mostra que foco em ricos é estratégia vencedora

Michael Sasso

02/05/2018 14h03

(Bloomberg) -- De forma bastante similar às fabricantes de bolsas de grife e cervejas artesanais, a Delta Air Lines descobriu que luxo vale a pena.

Ficou mais barato voar nos EUA nos últimos anos, mas a Delta está superando as principais concorrentes ao manter o prêmio nas passagens executivas. A parcela de 10 por cento das tarifas mais caras só de ida da Delta era vendida a partir de US$ 521 no ano passado, 12 por cento menos que em 2014, segundo a ICF, que computou os números para a Bloomberg. As passagens da United Continental Holdings nessa categoria caíram 16 por cento, enquanto os preços comparáveis da American Airlines tiveram recuo de 21 por cento.

"Como a Delta domina uma fatia maior das receitas com viagens executivas do que a American ou a United, tem menos assentos que realmente enfrentam concorrência de empresas de baixo custo, e seus preços são menos diluídos que os de American e United", disse Ben Baldanza, ex-presidente da Spirit Airlines.

De olho no retorno, as empresas aéreas americanas estão oferecendo vantagens para conquistar passageiros endinheirados. A Delta equipou seus novos aviões internacionais Airbus A350 com suítes privadas na cabine da classe executiva, todas com portas deslizantes. A United está lançando cabines executivas internacionais da marca Polaris, com poltronas que deitam totalmente e acesso direto ao corredor, enquanto a American oferece refeições para a primeira classe nos lounges em voos internacionais.

As tarifas vêm caindo devido ao aumento de capacidade, juntamente com a ascensão das aéreas de baixo custo. Os preços menores dos combustíveis, que começaram a subir novamente, também tiveram influência. As companhias jogaram as restrições "pela janela" em 2015 e triplicaram a taxa de crescimento anterior nos EUA, adicionando assentos a um ritmo de 5 por cento, segundo Austin Horowitz, consultor de aviação da ICF.

Sendo assim, não surpreende que financeiramente a Delta dê uma surra nas rivais. Sua margem de lucro operacional foi 50 por cento maior que as de United e American no ano passado. Um dos motivos é que a Delta sofre menos concorrência direta de companhias que oferecem grandes descontos, como a Spirit. Além disso, a Delta controla 70 por cento ou mais do mercado nos hubs de Atlanta, Detroit, Minneapolis e Salt Lake City, segundo pesquisa do Morgan Stanley. Por isso, é mais "dona" das lucrativas viagens executivas em seus hubs do que as concorrentes, disse Baldanza.

--Com a colaboração de Nancy Moran .

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia