ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Empresa que agencia cargas diz que sobreviverá à Amazon

Christian Wienberg

02/05/2018 11h23

(Bloomberg) -- A Amazon.com pode estar prestes a mudar drasticamente o mercado de agenciamento de carga, avaliado em US$ 500 bilhões. Mas nem todas as empresas concorrentes serão afetadas com a mesma intensidade.

De acordo com o CEO da DSV, o uso de tecnologia da agente de carga dinamarquesa, que inclui soluções avançadas de monitoramento digital, vai ajudá-la a conservar uma vantagem. Ao mesmo tempo, as concorrentes que ficarem para trás em tecnologia sofrerão, o que poderia deixar menos nomes no mercado.

"O panorama competitivo está mudando, mas esperamos que a mudança seja a nosso favor", disse o CEO da DSV, Jens Bjorn Andersen, em entrevista.

Sua empresa de agenciamento de cargas é a quinta maior do mundo e controla cerca de 2 por cento do mercado global. "Nossos clientes nos exigem cada vez mais em relação à transparência, a rastreamento e monitoramento e a soluções digitais", disse Andersen. "Alguns de nossos concorrentes não conseguem prestar esses serviços na mesma medida que nós. Isso será uma vantagem competitiva."

A DSV, cuja sede fica a oeste da capital da Dinamarca, Copenhague, fez mais de 65 milhões de transações eletrônicas com clientes no último trimestre. Mais de 80 por cento das reservas são realizadas eletronicamente, em comparação com 10 por cento há apenas alguns anos, diz Andersen.

A Amazon, gigante do varejo com sede em Seattle, está testando sua própria rede de distribuição e pode tirar negócios de parceiros de longa data, como United Parcel Service e FedEx. "Estamos monitorando esse desenvolvimento muito atentamente", disse o CEO da DSV. "É óbvio que a Amazon poderá ficar com uma fatia."

A Amazon pode prejudicar o crescimento da DSV em entregas de varejo, o que será um golpe que a empresa dinamarquesa "vai ter que engolir", disse o CEO. Ele diz que é improvável que a gigante do varejo dos EUA tenha como alvo uma parcela maior do mercado de agenciamento de frete.

Mas a ameaça não vem apenas da Amazon. A A.P. Moller-Maersk, com sede em Copenhague, a maior linha de transporte marítimo do mundo, está trabalhando em uma nova estratégia que a tornará uma distribuidora de mercadorias em contêiner de ponta a ponta, impulsionando sua unidade de agenciamento de frete no processo.

Andersen diz que agentes de carga menores do que sua empresa estão em uma situação mais difícil na tentativa de descobrir como competir com gigantes como a Amazon e a Maersk. No entanto, ele afirma que a DSV é grande o suficiente para lidar com a ruptura.

"Não quero parecer arrogante, mas é um fato que somos um dos maiores nomes do mercado e precisamos usar esse potencial", disse Andersen.

A DSV foi fundada no final dos anos 1970. Hoje, a companhia tem um valor de mercado de US$ 15 bilhões e 47.000 funcionários.

"Admito com alegria que fico muito preocupado com a Amazon, com as linhas de contêineres, com as startups ou com os dois adolescentes em um porão na Califórnia que podem ter inventado algo que não previmos", disse Andersen. "No entanto, mais um trimestre passou e nós registramos crescimento em todos os nossos principais parâmetros."

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia