Bolsas

Câmbio

Governo britânico enfrenta crise por sistema alfandegário da UE

Timothy Ross, Robert Hutton e Kitty Donaldson

(Bloomberg) -- Theresa May enfrenta uma crise depois que ministros pró-Brexit se uniram a conservadores linha-dura para exigir uma separação total do sistema alfandegário da União Europeia e rejeitaram seu apelo de encontrar um meio-termo para solucionar o assunto.

A primeira-ministra do Reino Unido foi minoria em uma reunião de seu Gabinete interno na quarta-feira. Os ministros não conseguiram concordar com nenhuma das opções intermediárias para a alfândega que May tinha proposto.

Em declarações posteriores, uma autoridade britânica disse que como ambas as propostas aparentemente morreram, May poderia ter apenas uma semana para encontrar uma saída ou enfrentar a dura decisão de continuar na união alfandegária da Europa ou sair sem nenhum acordo.

Qualquer uma dessas opções poderia incitar rebeldes de seu partido a acabar com seu governo.

O dia, que começou com um grupo de legisladores conservadores pró-Brexit ameaçando retirar o apoio à primeira-ministra se ela insistisse com a proposta de ter uma relação alfandegária com a União Europeia, acabou com seu mais novo indicado, o secretário do Interior Sajid Javid, opinando contra o plano de May e unindo-se a outros ministros para desafiá-la.

Os acontecimentos refletem que May está em um beco sem saída: antes de sequer tentar apresentar um acordo à UE, ela precisa encontrar uma proposta que conte com o apoio de seu Gabinete e do Parlamento. Os dois estão profundamente divididos, e cada lado é forte o suficiente para bloquear um plano, mas não o bastante para conseguir aprovar outra alternativa.

Posições

Até agora, May sobreviveu evitando um confronto final com ambos os lados. Portanto, não foi surpresa que o chamado "Gabinete de Guerra" tenha adiado mais uma vez sua decisão na tarde de quarta-feira.

A reunião foi realizada para discutir qual dos dois possíveis sistemas alfandegários - um apoiado por May e outro preferido pelos simpatizantes do Brexit - o governo deveria adotar.

May reiterou que gostaria de abandonar a união alfandegária do Reino Unido e depois declarou seus limites para qualquer novo acordo: não deve haver uma fronteira rígida entre a Irlanda e a Irlanda do Norte, nem uma fronteira entre a Irlanda do Norte e o restante do Reino Unido, o país deve poder negociar seus próprios acordos comerciais e o comércio com a UE deve ter a menor quantidade possível de fricções.

Houve consenso na sala de que essas exigências são contraditórias, segundo duas pessoas presentes na reunião, e que o governo teria que decidir quais delas são mais importantes.

Prazo urgente

As autoridades têm apenas dias para encontrar uma solução. Um representante do Reino Unido disse que eles acreditavam que a UE gostaria de ver algo antes do fim da próxima semana.

Não foi marcada uma data para a próxima reunião, mas segundo seus funcionários, May compreende a urgência.

--Com a colaboração de Jessica Shankleman , Alex Morales e Thomas Penny .

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos