Bolsas

Câmbio

Não é preciso cavar mina para administrá-la, dizem executivas

Danielle Bochove e David Stringer

(Bloomberg) -- Eira Thomas descobriu diamantes no extremo norte, cofundou empresas de mineração e participou de uma dúzia de conselhos administrativos - inclusive da companhia de energia mais valiosa do Canadá.

Por isso, ela ficou um pouco surpresa quando um investidor recentemente insinuou que ela precisava contratar um engenheiro como diretor de operações para apoiá-la na diretoria. Afinal, ela era apenas uma geóloga.

"Tenho 30 anos neste negócio", disse Thomas, de 49 anos, que assumiu o cargo de CEO da Lucara Diamond, com sede em Vancouver, em fevereiro. "Estive envolvida em vários projetos que se tornaram minas. Sou membro do conselho da Suncor. E me pergunto se um homem com as mesmas credenciais e recém-nomeado CEO teria escutado esse mesmo comentário."

É aí que reside um dos maiores obstáculos para conseguir que mais mulheres cheguem a altos cargos no setor de mineração: a convicção de que os líderes precisam começar cavando minas, geralmente em lugares remotos, para administrá-las. Tirar as mulheres dos departamentos jurídico, financeiro ou de sustentabilidade e encontrar maneiras flexíveis para que elas obtenham experiência operacional será fundamental para atrair as profissionais de que a indústria precisa para prosperar, disseram líderes do setor de mineração como Thomas.

Cavar em lugares remotos

A indústria de materiais, que inclui as mineradoras, perde para todos os outros setores no Bloomberg World Index nas taxas de participação feminina, tanto na força de trabalho como um todo quanto na administração. Apenas uma de cada 20 mineradoras globais é chefiada por mulheres, segundo dados compilados pela Bloomberg de empresas que fornecem uma análise de gênero.

Thomas se iniciou na mineração ao passar os verões de sua infância explorando o norte com seu pai, que era garimpeiro. Quando decidiu seguir os passos dele, a ideia de trabalhar meses a fio em acampamentos temporários não a incomodava.

As geólogas argumentam que não é o fato de cavar, é a necessidade de passar semanas ou até mesmo meses longe de casa, especialmente durante os anos da criação dos filhos, que pode ser um problema. Mas existem outras maneiras de chegar ao topo.

Em um momento em que as mineradoras estão sendo cada vez mais pressionadas a demonstrar os benefícios que trazem para a sociedade, executivas como Thomas e Catherine Raw, da Barrick Gold, afirmam que contar com formações variadas é fundamental. As equipes de gestão precisam ser competentes em termos políticos, ambientais, sociais e financeiros, além de serem fortes tecnicamente, disse Raw. Thomas disse que a presença de mais mulheres ajudará o setor a inovar e se tornar mais transparente - e isso também ajudará a atrair os jovens que serão sua próxima força de trabalho.

As empresas estão encontrando maneiras criativas de aumentar o número de mulheres em sua força de trabalho. A BHP Billiton, que almeja uma força de trabalho equilibrada em termos de gênero até 2025, tem procurado atrair funcionárias de outras carreiras, como enfermeiras, operadoras de centros de atendimento de emergência e especialistas em logística militar. A bilionária Gina Rinehart está de olho nas equipes esportivas femininas para recrutar para a mina de minério de ferro da Roy Hill Holdings, no oeste da Austrália.

A criação de metas também está se tornando mais comum; a Sherritt International, mineradora de níquel com sede em Toronto, faz parte de uma iniciativa voluntária que pede que as empresas canadenses elevem a proporção de executivas para 30 por cento até 2022. Atualmente, a companhia conta com apenas uma mulher entre seus oito executivos e com duas entre os oito membros do conselho.

--Com a colaboração de Madison England .

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos