Bolsas

Câmbio

Ant Financial de Jack Ma enfrenta medidas enérgicas na China

Bloomberg News

(Bloomberg) -- Não existe outra empresa no mundo como a Ant Financial.

A gigante chinesa de Jack Ma, que abrange pagamentos on-line, seguros, empréstimos, pontuação de crédito, gestão de ativos e mais, parece uma mistura de PayPal, Geico, Wells Fargo e Equifax -- com uma pitada de BlackRock. Graças a inteligentes aplicativos móveis e à ascensão da classe média chinesa, a Ant administra o maior fundo de money market - aplicações de curto prazo - do mundo e processa mais de US$ 2,4 trilhões em pagamentos móveis a cada três meses. Muitos dos 870 milhões de clientes confiam quase todos os aspectos de suas vidas financeiras à empresa.

Mas a extraordinária abrangência da Ant poderá em breve expor a companhia a um grande desafio: as autoridades chinesas, receosas de que a Ant e outras empresas controladoras do setor financeiro apresentem riscos sistêmicos à economia de US$ 12,7 trilhões do país, estão elaborando novas regras que poderiam dificultar bastante o crescimento dessas companhias.

As regras obrigarão a Ant e alguns pares presentes em pelo menos dois setores financeiros a obter licenças do banco central da China e cumprir requisitos mínimos de capital pela primeira vez, segundo pessoas familiarizadas com o assunto, que pediram anonimato por discutirem informações confidenciais. As estruturas de propriedade das empresas e as transações intergrupos também sofrerão restrições, disseram as pessoas, acrescentando que as regras precisam de aprovação do Conselho de Estado da China e estão sujeitas a mudanças.

A Ant foi uma das maiores beneficiárias de uma era livre na regulamentação financeira chinesa, em que startups de tecnologia revolucionaram o modo de gastar, tomar empréstimos e poupar da população de 1,4 bilhão. Mas o governo da China agora está passando para o modo de controle de riscos na tentativa de impedir que o acúmulo recorde de dívidas corporativas e dos consumidores afunde a economia. O crescente papel da Ant no sistema financeiro do país faz com que ela seja um alvo óbvio das autoridades, que já puseram travas em compradores em série e frearam o enorme sistema bancário paralelo do país.

"Os órgãos reguladores foram um pouco lentos para reagir à ascensão meteórica da Ant, mas o consenso agora é que algo precisa ser feito", disse Dong Ximiao, pesquisador sênior da Universidade Renmin da China, em Pequim. "A Ant se tornou grande demais para falir. Qualquer equívoco pode gerar uma desordem no mercado ou até social."

A perspectiva de supervisão mais rigorosa surge em um momento particularmente sensível para a Ant. A empresa está finalizando uma rodada de financiamento de US$ 10 bilhões e poderá em breve embarcar em uma das aberturas de capital mais aguardadas desde que Ma realizou a IPO da gigante do comércio eletrônico Alibaba Group Holding em Nova York, há quatro anos. A Ant enfrenta também uma concorrência cada vez maior da Tencent Holdings -- a gigante das redes sociais que está se enveredando pelo setor de serviços financeiros -- e uma perspectiva mais incerta para sua expansão internacional após o colapso da compra da americana MoneyGram International, em janeiro.

--Com a colaboração de Heng Xie , Samuel Dodge , Adrian Leung e Steven Yang .

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos