Bolsas

Câmbio

Fabricante de ônibus elétrico aposta mais alto nas recargas

Mark Chediak

(Bloomberg) -- A Proterra, uma fabricante de ônibus elétricos do Vale do Silício, está oferecendo novos sistemas de recarga de alta potência com o objetivo de acelerar a adoção de veículos que não geram emissões.

Os aparelhos de recarga da Proterra são projetados especificamente para frotas comerciais, cumprem os padrões do setor e podem permitir que os ônibus devolvam energia à rede quando necessário, informou a empresa com sede em Burlingame, na Califórnia, em comunicado, nesta segunda-feira.

A demanda crescente por veículos elétricos estimulou também o interesse no desenvolvimento de infraestruturas de recarga para apoiá-los, segundo o CEO da Proterra, Ryan Popple.

"Não se pode simplesmente construir veículos elétricos, deixá-los com os clientes e esperar que eles resolvam o outro lado da questão, que é a recarga", disse Popple. "Encontramos necessidades dos clientes que não eram atendidas pelos equipamentos existentes."

A Proterra lançou os sistemas -- que incluem um carregador de alta velocidade de 500 quilowatts capaz de fornecer em 10 minutos energia suficiente para um veículo rodar 61 quilômetros -- na Bus & Paratransit Conference, da Associação Americana de Transporte Público (APTA, na sigla em inglês), em Tampa, Flórida.

Os ônibus movidos a bateria têm o potencial de revolucionar o transporte urbano e reformular o setor de energia. Quase metade dos ônibus urbanos em circulação no mundo será elétrica em 2025, a maior parte na China, segundo a Bloomberg New Energy Finance. Nos EUA, cidades como Los Angeles e Nova York estabeleceram metas para converter todas as frotas em ônibus elétricos nas próximas décadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos