Bolsas

Câmbio

Match não teme concorrência do app de namoro do Facebook

Gerrit De Vynck

(Bloomberg) -- A Match Group minimizou a ameaça de concorrência no campo de namoro on-line do Facebook elevando suas projeções de receita e lucro e dizendo não acreditar que a gigante das redes sociais tenha grande impacto em seus negócios.

A empresa, com sede em Dallas, nos EUA, que possui aplicativos como Tinder e OkCupid, afirmou que a receita será de US$ 1,6 bilhão a US$ 1,7 bilhão em 2018, acima de sua projeção anterior de US$ 1,5 bilhão a US$ 1,6 bilhão. O lucro também será maior, principalmente porque mais pessoas do que a empresa esperava estão se inscrevendo em um novo recurso premium de seu aplicativo principal, o Tinder. A receita e o lucro do primeiro trimestre também ultrapassaram as estimativas dos analistas, disse a companhia em comunicado na terça-feira.

A projeção positiva chega apenas uma semana depois de o Facebook anunciar que entrará no mercado de namoro, o que provocou a maior queda na história das ações da Match. Agora, a CEO Mandy Ginsberg está contra-atacando, dizendo que os negócios estão crescendo.

"Achamos que o namoro no Facebook não causará um impacto negativo no Tinder", disse Ginsberg em uma entrevista. "Temos a vantagem de ser um negócio de foco único, ao contrário da nova concorrência."

Os investidores não têm tanta certeza. O preço das ações de Match não se recuperou desde a queda de 22 por cento causada pelo anúncio do Facebook. Além do medo da concorrência direta de um gigante bem capitalizado que já tem mais de 2 bilhões de usuários em todo o mundo, há também a possibilidade de o Facebook impedir que a Match use a rede social para permitir que os usuários autentiquem suas identidades.

A empresa não está preocupada com isso, disse Ginsberg. No ano passado, o Tinder começou a permitir que os usuários confirmassem que eram pessoas reais recebendo uma mensagem de texto. Esse método rapidamente se tornou muito mais popular do que entrar no Tinder através do Facebook e agora é usado por cerca de 75 por cento dos clientes, disse ela. Os algoritmos de correspondência do Tinder também não recorrem ao Facebook nem a outros provedores de dados de terceiros, de acordo com uma apresentação da empresa.

"As pessoas não querem misturar o Facebook e suas vidas amorosas", disse Ginsberg.

Os resultados também destacam a importância do Tinder Match, que possui vários outros aplicativos de namoro direcionados para diversos grupos demográficos e que tem buscado adquirir mais.

"Eles não vão crescer sempre ao mesmo tempo e com o mesmo ritmo", disse Ginsberg sobre os diversos aplicativos da empresa. Os outros aplicativos enfrentam "vitórias e ventos contrários", disse ela.

A Match também resolveu uma disputa de patentes com o aplicativo chinês de namoro TanTan, que ela acusava de ter copiado o design de seu aplicativo. TanTan modificará o design de seu aplicativo nos EUA e pagará royalties anuais à Match, disse a empresa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos