Bolsas

Câmbio

Londres pode proibir anúncios de junk food no transporte público

Joe Easton

(Bloomberg) -- As publicidades de junk food podem ser proibidas em toda a rede da Transport for London, segundo propostas anunciadas pelo prefeito Sadiq Khan, que tenta combater o crescente nível de obesidade infantil na cidade.

"Quero reduzir a influência e a pressão que podem ser exercidas sobre as crianças e as famílias para que façam escolhas pouco saudáveis", disse Khan em comunicado para anunciar a proposta de proibir anúncios de alimentos e bebidas pouco saudáveis nos trens, ônibus e pontos de ônibus de Londres. O prefeito também propôs proibir a abertura de novos estabelecimentos de comida pronta para viagem em um raio de 400 metros das escolas.

Londres tem um dos maiores índices de obesidade infantil da Europa -- cerca de 40 por cento das crianças de 10-11 anos da capital têm sobrepeso ou são obesas, segundo o comunicado. As crianças de regiões mais pobres são desproporcionalmente afetadas pela "epidemia de obesidade", disse Khan, que acrescenta que os jovens de Barking and Dagenham, na região leste de Londres, têm duas vezes mais propensão ao sobrepeso do que as crianças do luxuoso bairro de Richmond.

As propostas anunciadas nesta sexta-feira usariam um sistema de perfil nutricional já consolidado para determinar se um alimento ou bebida é rico em gordura, sal e açúcar. O modelo é usado atualmente pela Autoridade de Padrões Publicitários do Reino Unido e pelo órgão regulador da comunicação, o Ofcom.

Entre as demais cidades que promulgaram medidas semelhantes está Amsterdã, que proibiu anúncios de alimentos pouco saudáveis em sua rede de transporte no início do ano.

--Com a colaboração de Joe Mayes .

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos