ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

BMW tem dicas de produção em meio a rivalidade maior com Musk

Oliver Sachgau

17/05/2018 14h55

(Bloomberg) -- A Tesla está tendo dificuldades para produzir seu primeiro carro de grande volume e a BMW tem alguns conselhos para sua rival dos carros elétricos: apoiar o trabalho humano, ser flexível e focar nos detalhes.

A Tesla, cujo Model 3 deverá competir com o BMW Série 3 e com o futuro sedã elétrico i4, adiou as metas de produção diversas vezes e interrompeu temporariamente as linhas de montagem para reformulá-las. Em meio às dificuldades, o fundador Elon Musk admitiu que instalou robôs demais.

Em contrapartida, o sistema de produção da BMW produz carros de elite consistentemente para clientes exigentes, uma das principais razões para o sucesso ao longo dos anos. A empresa, que realizou sua assembleia anual em Munique nesta quinta-feira, enfrenta a custosa reequipagem da maior parte dessa rede para montar veículos movidos a bateria juntamente com modelos convencionais, o que lhe dá uma escala que a Tesla é incapaz de igualar.

"Produzir carros em ciclos de 60 segundos: esse é o fator decisivo", disse Oliver Zipse, que administra a rede de produção da BMW que fabrica o equivalente a toda a produção de 2017 da Tesla a cada duas semanas, em entrevista. "Não é nosso objetivo automatizar totalmente o processo de montagem porque o ser humano, com suas propriedades únicas, é insuperável em termos de flexibilidade."

As empresas consolidadas têm há tempos a visão de que a nova concorrente teria dificuldades para aumentar a escala para oferecer veículos elétricos a um público mais amplo depois que o sucesso de carros como o Model S P90D, de US$ 110.700, evidenciou a incômoda escassez de opções elétricas atraentes de fabricantes convencionais.

"Talvez exista mais margem de manobra no segmento de mercado de alto padrão, acima de 100.000 euros (US$ 118.000), mas quando se entra em segmentos de mercado de volume, como o Model 3 ou até mesmo o Série 5, é fundamental controlar os custos", disse Zipse. "Ninguém pode se permitir ter ineficiências neste espaço."

O lançamento de 12 veículos elétricos da BMW até 2025 começará no ano que vem com um Mini movido a bateria montado na fábrica de Oxford, Inglaterra, juntamente com modelos convencionais. Esse projeto servirá de modelo para a atualização de quatro das sete principais fábricas da empresa até 2021, incluindo unidades em sua cidade de origem, Munique, e em Shenyang, na China.

Após aprender com suas próprias dificuldades na linha de montagem independente do carro urbano elétrico i3 de 2013, em Leipzig, a BMW está tornando os grandes lançamentos cada vez mais enxutos. Esse trabalho "meticuloso e muito detalhado" ajudou a reduzir os custos da reequipagem em Oxford para menos de 100 milhões de euros (US$ 118 milhões). A construção de uma nova fábrica custaria em torno de 1 bilhão de euros, segundo Zipse.

As fabricantes de carros de luxo da Alemanha estão entusiasmadas para competir com a Tesla depois que a badalada marca californiana ameaçou redefinir o mercado de carros de luxo com o sucesso de seu principal produto, o Model S. Os problemas de produção do Model 3 abrem a porta para que a BMW e a Mercedes-Benz cortem as asas da Tesla.

"Estamos preparando nossas arquiteturas de carros e nossas fábricas para integrar essa tecnologia de forma flexível", disse Zipse. "Para nós, essa flexibilidade é a forma mais eficiente de oferecer carros elétricos de maneira rentável."

Mais Economia