Bolsas

Câmbio

Setor de tecnologia do Reino Unido dobra apesar do Brexit

Jeremy Kahn

(Bloomberg) -- O setor de tecnologia de Londres continua prosperando, apesar da perspectiva de saída da União Europeia, segundo um novo relatório.

As empresas de tecnologia britânicas arrecadaram 4,5 bilhões de libras (US$ 6,1 bilhões) em 2017, quase o dobro do valor levantado no ano anterior, segundo o relatório da Tech Nation, uma organização parcialmente financiada pelo governo para promover a economia digital do Reino Unido. O país só fica atrás dos EUA e da China em termos de investimentos em capital de risco, segundo o relatório.

Londres é classificada como o segundo centro de tecnologia mais "conectado" do mundo, depois do Vale do Silício, com base nos empreendedores que relatam um relacionamento significativo com duas ou mais pessoas na cidade. Citando dados da Startup Genome, um grupo que ajuda cidades a construir ecossistemas digitais, a Tech Nation afirmou que Londres superou o Vale do Silício no número de empresas digitais com clientes estrangeiros - 33 por cento, em comparação com 30 por cento.

Londres também possui uma das forças de trabalho de startups mais internacionais do planeta: 54 por cento dos funcionários das jovens empresas digitais nasceram fora do Reino Unido. A proporção é menor que a de Berlim, que desponta rapidamente como um hub rival para startups europeias, particularmente porque os fundadores temem não conseguir contratar trabalhadores estrangeiros com facilidade depois que o Reino Unido sair da União Europeia, em março de 2019. O relatório observou que Berlim é o único outro ecossistema tecnológico europeu entre os 10 maiores do mundo em uma série de indicadores.

"Nosso novo relacionamento com a UE com certeza nos obrigará a ser ainda mais adaptativos, inovadores e ambiciosos", disse Gerard Grech, CEO da Tech Nation, em comunicado.

No geral, as empresas digitais do Reino Unido estão incrementando as receitas 2,6 vezes mais rápido e adicionando funcionários a um ritmo cinco vezes maior que o restante da economia, o que destaca por que o governo está tão interessado em promover o setor.

Matt Hancock, secretário de Estado para cultura, mídia e esporte, disse que o país precisa garantir que os benefícios do boom da tecnologia digital se estendam além de Londres para outras partes do país.

Mas o relatório da Tech Nation mostrou o quanto essa tarefa pode ser difícil. Londres foi o único centro tecnológico britânico a se classificar entre os 20 maiores do mundo em termos de alcance de mercado, conexões internacionais e financiamento.

O relatório também mostrou até que ponto o setor de tecnologia no Reino Unido tem que ir para eliminar a desigualdade de gênero. Apenas 19 por cento da força de trabalho digital do Reino Unido é do sexo feminino, em comparação com 49 por cento em todos os setores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos