ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Tesla firma contrato por lítio de fábrica ainda não construída

David Stringer

17/05/2018 13h50

(Bloomberg) -- A Tesla firmou um contrato de fornecimento de hidróxido de lítio com uma pequena empresa de mineração australiana que só começará a produzir na próxima década, colocando em destaque a corrida pelas matérias-primas necessárias para atender à demanda projetada de veículos elétricos.

A Kidman Resources abastecerá a Tesla por um período inicial de três anos com a produção de uma refinaria ainda não construída na Austrália Ocidental, disse a empresa com sede em Melbourne nesta quinta-feira, sem divulgar os termos financeiros do acordo. O contrato de preço fixo também contém opções para algumas extensões de três anos.

A Kidman começará a produzir o muito procurado hidróxido de lítio só em 2021, em uma joint venture com a gigante chilena Sociedad Química y Minera de Chile. Uma mina para abastecer a fábrica em Mt. Holland -- o terceiro maior depósito de lítio em rocha dura do mundo -- só será construída no ano que vem, de acordo com uma apresentação deste mês.

"O fato de este ser um acordo para um produto que só estará disponível dentro de três anos mostra a urgência do setor", disse Reg Spencer, analista da Cannacord Genuity Group em Sidney, em entrevista por telefone. "O que estamos vendo é que as fabricantes de veículos estão cada vez mais dispostas a ir até a exploração e à extração, inclusive até à mina, para garantir o fornecimento."

Busca global

As fabricantes de carros e baterias, entre elas a Tesla, de Elon Musk, estão em uma busca global por fontes de lítio, cobalto e outras matérias-primas. A BMW estimou em dezembro que sua demanda por esses metais fundamentais aumentará dez vezes até meados da próxima década. É provável que a produção de lítio tenha de ser quadruplicada dentro de uma década para atender à demanda por veículos elétricos, disse o Goldman Sachs Group no ano passado.

A Tesla planeja anunciar o local de uma nova gigafábrica na China já no terceiro trimestre, com o objetivo de fabricar baterias e carros no maior mercado de veículos elétricos do mundo. A empresa preferiu não comentar seu acordo com a Kidman.

"O contrato com a Tesla é um marco importante para a Kidman", disse o diretor administrativo Martin Donohue em comunicado enviado por e-mail. A Kidman "continuará a explorar o potencial para fechar mais acordos de fornecimento de longo prazo (offtake agreements) com outras partes estratégicas de importância global", disse ele.

O hidróxido de lítio -- em vez de outros produtos de lítio - é cada vez mais usado pelas principais fabricantes de baterias e pelas fabricantes de carros, entre elas a Tesla, porque pode proporcionar uma maior autonomia por carga, disse a chinesa Tianqi Lithium em março.

Mais Economia