ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Ministros conversarão reservadamente antes de reunião da Opep

Fiona MacDonald

29/05/2018 14h51

(Bloomberg) -- Ministros da Energia dos Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e Kuwait planejam se reunir no sábado para discutir questões relativas à Organização dos Países Exportadores de Petróleo. O encontro acontece uma semana após Arábia Saudita e Rússia anunciarem novas medidas para reativar a produção do combustível.

O ministro saudita Khalid Al-Falih se encontrará na Cidade do Kuwait com o anfitrião, Bakheet Al-Rashidi, e Suhail Al Mazrouei, dos Emirados Árabes (que ocupa atualmente a presidência rotativa da Opep). O plano para a reunião foi revelado por pessoas com conhecimento direto do assunto, que pediram anonimato porque a informação não é pública. O ministro do Petróleo de Omã, Mohammed Al Rumhi, talvez se junte a eles, segundo as fontes.

A cotação do barril caiu após Arábia Saudita e Rússia sinalizarem na semana passada que irão retomar parte da produção paralisada devido ao acordo feito com 22 outras nações para tentar diminuir o excedente global de petróleo. A maioria não foi consultada sobre a proposta para restaurar a oferta. A Opep e aliados, incluindo Rússia e Omã, têm encontro marcado no fim de junho, em Viena, para rediscutir o acordo de corte da produção, que, nos termos atuais, deve vigorar até o fim do ano.

O evento na Cidade do Kuwait será realizado "provavelmente para garantir que esses países tenham a mesma postura antes da reunião da Opep, no mês que vem", disse Ole Sloth Hansen, responsável por pesquisa de commodities no Saxo Bank, em Copenhagen. "O potencial dissenso dependerá muito do comportamento do preço entre agora e 22 de junho. Uma queda de cinco dólares em poucos dias é obviamente irritante para aqueles que não participaram do anúncio da semana passada."

Depois de Arábia Saudita e Rússia, Emirados Árabes e Kuwait seriam os mais beneficiados por um aumento acordado da produção porque têm capacidade ociosa suficiente, explicou Hansen.

--Com a colaboração de Wael Mahdi e Anthony DiPaola.

Mais Economia