ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

CEO da Qatar Airways diz que só homens podem fazer seu trabalho

Angus Whitley, Benjamin D. Katz e Kyunghee Park

05/06/2018 12h52

(Bloomberg) -- Mulheres, procurem outra coisa. O CEO da Qatar Airways, Akbar Al Baker, diz que só um homem é capaz de enfrentar os desafios de seu trabalho.

Momentos depois de se tornar presidente do conselho administrativo da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, na sigla em inglês), um dos maiores clubes do Bolinha do mundo, Al Baker fez pouco para sugerir que as coisas vão mudar.

Leia também:

Em uma entrevista coletiva em Sidney, onde a IATA realizou a sua reunião anual, perguntaram-lhe o que poderia ser feito sobre a deplorável representação feminina no setor de aviação no Oriente Médio. Esse não é o caso da Qatar Airways, disse Al Baker ao jornalista.

"Claro que a companhia precisa ser liderada por um homem, porque é uma posição muito difícil." Houve um murmúrio de desaprovação de muitos jornalistas na sala.

Os comentários contrastam com os esforços de algumas empresas concorrentes para impulsionar a representação feminina nos altos escalões. A diretoria da Qantas Airways é 40 por cento feminina, incluindo a liderança das unidades de negócios internacionais e de fidelidade de passageiros frequentes, disse o CEO Alan Joyce. A SkyTeam nomeou a executiva da Delta Kristin Colvile como executiva-chefe da aliança de companhias aéreas no início deste mês.

A diversidade não é somente uma vantagem competitiva, disse Joyce, "é o que deve ser feito nos negócios e é o que deve ser feito moralmente".

Um dia antes, membros da IATA de companhias aéreas de todo o mundo tinham ouvido um painel sobre maneiras de lidar com os desequilíbrios de gênero no setor. Quando a diretoria da IATA posou para uma foto de grupo na semana passada, havia apenas uma mulher entre 26 chefes de companhias aéreas -- Christine Ourmières-Widener, CEO da empresa regional Flybe Group, do Reino Unido.

Al Baker esclareceu sua posição em uma entrevista com Haidi Lun, da Bloomberg Television, após a entrevista coletiva.

"Eu me referi apenas a um indivíduo", disse ele. "Eu não me referi à equipe em geral."

A equipe da Qatar Airways tem uma representação feminina de mais de 33 por cento, disse ele. A companhia tem pilotos do sexo feminino e vice-presidentes seniores do sexo feminino, disse ele. Não existe desigualdade de gênero na Qatar Airways, disse.

Consultado sobre se daria as boas-vindas a uma executiva como CEO, Al Baker disse: "Será um prazer para mim ter uma candidata a CEO que eu possa capacitar para se tornar CEO depois de mim".

Para ser piloto da Esquadrilha da Fumaça, precisa ter 1.500 horas de voo

UOL Notícias

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia