ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Adyen desafia mercado de IPOs da Europa com avaliação máxima

Wout Vergauwen e Ruth David

11/06/2018 11h47

(Bloomberg) -- A firma holandesa de processamento de pagamentos Adyen planeja fixar o preço do IPO no topo de sua faixa após o forte interesse dos investidores pela maior venda de ações de tecnologia financeira do ano na Europa.

Investidores como General Atlantic e Index Ventures deverão vender até 14,2 por cento das ações em circulação -- incluindo uma opção de lote suplementar -- a 240 euros cada, de acordo com os termos do acordo, vistos pela Bloomberg News. Uma venda a esse preço avaliaria a Adyen em 7,1 bilhões de euros (US$ 8,4 bilhões).

A oferta pública inicial levantará até 947 milhões de euros e a venda deverá ser encerrada às 8 horas de 12 de junho, de acordo com os termos do acordo. O acordo foi totalmente subscrito horas após a abertura.

A Adyen é exceção na Europa, onde várias empresas tiveram dificuldades neste ano para vender ações em meio à volatilidade do mercado de ações e às incertezas políticas. Os emissores da região levantaram cerca de US$ 23 bilhões e adiaram ou cancelaram IPOs avaliados em quase US$ 6 bilhões, segundo dados compilados pela Bloomberg. O maior IPO deste ano foi o da empresa alemã de equipamentos médicos Siemens Healthineers, que levantou 4,2 bilhões de euros.

Durante anos, os sistemas de processamento de pagamentos em lojas e na internet foram controlados por grandes bancos, emissoras de cartões de crédito e alguns antigos fornecedores de TI. A Adyen faz parte de uma nova safra de empresas de tecnologia financeira que está desafiando essa hegemonia e a União Europeia adotou a nova ordem como forma de criar mais opções para os consumidores.

A Adyen, que tem como clientes Netflix e Spotify Technology, substituiu o PayPal como processadora de pagamentos do eBay. A previsão é de que começará a ser negociada em Amsterdã em 13 de junho.

O Morgan Stanley e o JPMorgan Chase estão atuando como coordenadores globais conjuntos e bookrunners conjuntos da oferta. O ABN Amro Bank, o Bank of America Merrill Lynch e o Citigroup são bookrunners conjuntos.

Repórteres da matéria original: Wout Vergauwen em Amsterdã, wvergauwen@bloomberg.net;Ruth David em London, rdavid9@bloomberg.net

Mais Economia