Bolsas

Câmbio

Criptomoedas perdem US$ 42 bi após ataque à bolsa sul-coreana

Eric Lam, Jiyeun Lee e Jordan Robertson

(Bloomberg) -- A forte queda das criptomoedas em 2018 se aprofundou, eliminando US$ 42 bilhões em valor de mercado no fim de semana e ampliando o declínio do bitcoin neste ano para mais de 50 por cento.

Alguns observadores culparam o hackeamento de uma bolsa sul-coreana pelo recuo e outros apontaram para a persistente preocupação com a repressão às plataformas de negociação na China. As bolsas de criptomoedas têm estado sob crescente exame em todo o mundo nos últimos meses devido a uma série de questões, incluindo roubos, manipulação de mercado e lavagem de dinheiro.

O bitcoin caiu 12 por cento desde as 17 horas de sexta-feira em Nova York e era negociado a US$ 6.764,34 às 11h45 desta segunda-feira em Londres, o que leva sua queda desde 29 de dezembro a 53 por cento. A maioria das outras moedas virtuais importantes também recuou desde sexta-feira, colocando o valor de mercado dos ativos digitais monitorados pelo Coinmarketcap.com no menor patamar em quase dois meses, de US$ 298 bilhões. No auge da criptomania global, no início de janeiro, o valor total era de US$ 830 bilhões.

A série de assaltos cibernéticos, incluindo o roubo de quase US$ 500 milhões da bolsa japonesa Coincheck, no fim de janeiro, ajuda a explicar o entusiasmo menor pelas moedas virtuais. Apesar de o alvo mais recente dos hackers -- uma bolsa sul-coreana chamada Coinrail -- ser muito menor, as notícias desencadearam vendas imediatas, segundo Stephen Innes, chefe de trading para a região Ásia-Pacífico da Oanda em Cingapura.

"Isso vem da ideia de que 'se acontece com A, pode acontecer com B e com C', e aí as pessoas entram em pânico porque os demais estão vendendo", disse Innes.

A queda pode ter sido amplificada pela baixa liquidez do mercado no fim de semana, acrescentou Innes.

"Há tão poucas negociações nos mercados, principalmente de contas de varejo, que esses indivíduos podem realmente abandonar posições por medo", disse. "A verdade é que não é preciso de muito dinheiro para movimentar fortemente o mercado."

A Coinrail disse em comunicado em seu website que parte das moedas digitais da bolsa parece ter sido roubada por hackers, mas não divulgou a quantia. A bolsa acrescentou que 70 por cento das criptomoedas que detém estão sendo mantidas em segurança em uma carteira fria (cold wallet), que não está conectada à internet e é menos vulnerável a roubos. Dois terços dos ativos roubados -- que a bolsa identificou como moedas NPXS, NPER e ATX -- foram congelados ou coletados, e o terço restante está sendo examinado por investigadores, por outras bolsas e por empresas de desenvolvimento de criptomoedas, de acordo com o comunicado.

A Coinrail negocia mais de 50 criptomoedas e está entre as 100 bolsas mais ativas do mundo, com um volume de cerca de US$ 2,65 milhões para cada 24 horas, segundo dados compilados pela Coinmarketcap.com antes da notícia do hackeamento.

A Agência Nacional de Polícia da Coreia está investigando o caso, disse um oficial por telefone.

--Com a colaboração de Sharon Cho, Kyungji Cho e Tian Chen.

Repórteres da matéria original: Eric Lam em Hong Kong, elam87@bloomberg.net;Jiyeun Lee em Seul, jlee1029@bloomberg.net;Jordan Robertson em Washington, jrobertson40@bloomberg.net

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos