ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Carrefour venderá alimentos on-line na França por meio do Google

Robert Williams

12/06/2018 18h16

(Bloomberg) -- O Google, da Alphabet, fechou acordo com o Carrefour para vender produtos pela internet na França. Segundo a empresa de varejo, é a primeira vez que serão vendidos alimentos frescos por meio das plataformas da gigante da internet.

No início de 2019, os consumidores franceses já poderão comprar produtos do Carrefour por meio de plataformas do Google como Home e Assistente, além do website de compras do Google na França, informou a empresa de varejo em comunicado. O Carrefour não comentou sobre a estrutura financeira do acordo.

A concorrência no negócio de supermercados franceses vem esquentando em um momento em que os mercados correm para ampliar suas ofertas digitais. A Casino Guichard Perrachon anunciou em março um acordo para vender produtos de suas lojas Monoprix na região de Paris por meio do serviço Prime, da Amazon.com, após acordo no ano passado entre a Casino e a provedora de tecnologias de comércio eletrônico para supermercados Ocado Group.

Desde que assumiu o cargo de CEO do Carrefour, no verão passado (Hemisfério Norte), Alexandre Bompard prometeu se tornar líder do comércio eletrônico de itens de supermercado e reduzir a dependência da empresa em relação a grandes lojas de varejo suburbanas na França.

"Esse acordo é uma medida transformadora para que o Carrefour se transforme em líder de comércio eletrônico entre os mercados, primeiro pilar do plano de retomada anunciado em janeiro", disse Marie Cheval, chefe de transformação digital da empresa, em entrevista por telefone. "Esta é a primeira vez que serão vendidos itens de supermercado por meio das interfaces do Google na França -- e a primeira vez em todo o mundo que serão vendidos alimentos frescos."

O Carrefour também adotará ferramentas do Google como o Gmail para mais de 160.000 funcionários, informou a empresa. A firma de tecnologia oferecerá treinamento digital para mais de 1.000 funcionários nos próximos seis meses para ajudar a prepará-los para a mudança.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia