PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Represa do Laos se rompe após 24h de luta para evitar colapso

Natnicha Chuwiruch e Kyunghee Park

25/07/2018 15h06

(Bloomberg) -- Continuam as buscas no Laos por centenas de pessoas desaparecidas em uma inundação fatal provocada pelo rompimento de uma represa, e a empresa sul-coreana que ajudou a construir o projeto hidrelétrico danificado informou que havia alertado o governo e começou a evacuar vilas enquanto trabalhadores tentavam evitar o desastre.

Os engenheiros tentaram durante quase 24 horas evitar a inundação de segunda-feira, afirmou a SK Engineering & Construction. Em determinado momento, uma das barragens auxiliares menores do empreendimento de US$ 1 bilhão se rompeu em meio a fortes chuvas, inundando vilas na parte sudeste, matando pelo menos 19 pessoas e deixando um total estimado de cerca de 6.600 desabrigados, segundo a agência de notícias do Laos.

Os níveis de água retornaram a limites seguros na usina hidrelétrica e não há perigo de um novo transbordamento, disse um porta-voz da SK Engineering nesta quarta-feira, acrescentando que as duas principais barragens e a usina de energia do projeto não foram danificadas.

O projeto Xe-Pian Xe-Namnoy -- joint venture da SK Engineering, da tailandesa Ratchaburi Electricity Generating Holding, da Korea Western Power e do governo do Laos -- é um dos vários que buscam explorar o potencial hidrelétrico do país, um motor de crescimento econômico do qual o Laos depende para ajudar a reduzir a pobreza.

A Organização das Nações Unidas anunciou que pelo menos 20 pessoas teriam morrido e que muitos dos desaparecidos podem estar mortos. A ONU e países como Cingapura e Tailândia afirmaram que estão prontos para ajudar se o Laos pedir auxílio. O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, ordenou o envio de uma equipe de emergência.

Funcionários da SK Engineering descobriram que uma das barragens de apoio do projeto se rompeu parcialmente às 21 horas de domingo, informou a empresa em comunicado, e notificaram as autoridades.

As fortes chuvas haviam danificado as estradas, o que atrasou os esforços da SK Engineering para transportar equipamentos pesados para reparos durante a noite, e às 3 horas da manhã uma válvula de emergência de uma das principais barragens foi aberta para reduzir os níveis de água, informou a empresa. Ao meio-dia de segunda-feira, as autoridades do Laos iniciaram as evacuações, segundo a SK Engineering. A água começou a transbordar por volta das 18 horas.

A Ratchaburi tem 25 por cento de participação no projeto, e a Lao Holding State Enterprise, 24 por cento. A participação da SK Engineering é de 26 por cento e o restante é da Korea Western Power, segundo o website do projeto. As operações comerciais tinham previsão de início em 2019.

A empresa tailandesa informou na terça-feira que a represa que estava sendo construída para ajudar a desviar a água de um reservatório se rompeu e entrou em colapso devido às contínuas tempestades. O projeto como um todo está cerca de 90 por cento concluído, segundo a empresa, que forneceu um fundo de socorro inicial de cerca de US$ 150.000 para o Laos.

A SK Engineering formou uma equipe de gerenciamento de crise, enviou altos funcionários ao Laos e empregou equipamentos, incluindo um helicóptero e suprimentos médicos. A ONU informou na terça-feira que os danos à represa se somam à destruição anterior causada pela tempestade tropical Son Tinh.

Repórteres da matéria original: Natnicha Chuwiruch em Bangcoc, nchuwiruch@bloomberg.net;Kyunghee Park em Cingapura, kpark3@bloomberg.net