PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Blockchain não vai curar todos os males das empresas dos EUA

Olga Kharif

31/07/2018 14h27

(Bloomberg) -- O caso de amor entre as empresas dos EUA e tudo o que tinha a ver com a tecnologia blockchain parece estar esfriando.

Vários projetos de software com base na tecnologia de livro-razão distribuído serão encerrados neste ano, segundo a Forrester Research. E algumas das empresas que continuam fazendo testes-piloto vão reduzir suas ambições e os cronogramas. Em 90 por cento dos casos, os experimentos nunca farão parte das operações da companhia, estima a empresa.

Nem sequer a Nasdaq, grande defensora da blockchain e das criptomoedas, tem avançado no ritmo esperado. A operadora de bolsas, que em 2016 falava sobre implementar blockchain nas votações das reuniões de acionistas e na emissão de ações de empresas de capital fechado, ainda não usa a tecnologia em nenhum projeto amplamente implementado.

"A expectativa era que encontraríamos casos de uso rapidamente", disse Magnus Haglind, vice-presidente sênior e diretor de gestão de produtos para tecnologia de mercado da Nasdaq, em entrevista. "Mas a introdução de novas tecnologias exige uma colaboração ampla com os participantes do setor, e tudo isso leva tempo."

A tecnologia blockchain foi criada para proporcionar um livro-razão digital impossível de adulterar - um modo revolucionário de monitorar produtos, pagamentos e clientes. Mas essa tecnologia tão badalada acabou sendo difícil de adotar em situações da vida real. Quando tentam expandir projetos em suas divisões, as empresas encontram problemas de desempenho, supervisão e operações.

Má notícia

Esta poderia ser uma má notícia para as fabricantes de software e serviços de blockchain, como a International Business Machines e a Microsoft. Essas companhias pretendem ganhar bilhões com serviços na nuvem que ajudam a administrar redes de abastecimento, enviar e receber pagamentos e interagir com os clientes. Agora, talvez seja preciso conter suas projeções - e as expectativas dos clientes.

"A tecnologia blockchain deveria ser uma importante fonte de renda no futuro para IBM, Microsoft e outras empresas nas vendas de equipamentos, nos serviços na nuvem e na consultoria", disse Roger Kay, presidente da Endpoint Technologies Associates. "Caso isso demore mais para acontecer, os analistas terão que diminuir as projeções."

Para grande parte das empresas, a tecnologia blockchain continua sendo algo exótico. Somente 1 por cento dos diretores de informação disse ter algum tipo de adoção de blockchain em suas organizações, e apenas 8 por cento disseram que tinham incluído a tecnologia no planejamento de curto prazo ou na experimentação ativa, segundo um estudo da Gartner. Quase 80 por cento dos diretores de informação disseram que não estão interessados na tecnologia.

Um motivo por trás da demora na adoção: a maioria dos vendedores de blockchain não oferece software compatível. As empresas temem se comprometer com um único fornecedor - problema que a Enterprise Ethereum Alliance (EEA), um grupo com cerca de 600 membros, como Cisco Systems, Intel e JPMorgan, espera resolver fixando padrões.

Muitas empresas também receiam ser as primeiras a utilizar uma tecnologia nova - e a ter problemas.

"Elas querem que outras pessoas fracassem primeiro, porque não querem ser cobaias", disse Brian Behlendorf, diretor executivo do Hyperledger, um grupo rival da EEA que representa empresas como IBM, Airbus e American Express. "É simplesmente a natureza do software empresarial."