ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Amazon sobe salários nos EUA para garantir mão de obra no Natal

Spencer Soper e Matthew Boyle

03/10/2018 10h55

(Bloomberg) -- Jeff Bezos conseguiu uma vitória em termos de relações públicas ao conceder aumento aos funcionários, recebendo elogios até mesmo de Bernie Sanders, um crítico da Amazon. Mas o motivo por trás do salário mínimo de US$ 15 por hora é o incentivo para que as pessoas trabalhem na Amazon -- e não no Walmart ou na Target -- neste momento em que o setor de varejo se prepara para a temporada de compras de fim de ano em meio a uma taxa de desemprego em mínima histórica nos EUA.

A Amazon planeja contratar 100.000 funcionários temporários para seus armazéns neste ano para ajudarem a atender os pedidos durante a febre da entrega de presentes, época em que a empresa mais precisa de pessoas e em que o mercado de trabalho oferece muitas outras oportunidades. A maior empresa de varejo on-line do mundo está a caminho de mais um ano recorde, com um aumento projetado de 28 por cento nos gastos em seu website em 2018, para US$ 394 bilhões, segundo a EMarketer. Para chegar lá, a Amazon precisa atrair muita gente para seus armazéns para trabalhar em turnos de 10 horas tirando produtos de caixas e embalando -- trabalho que pode parecer monótono em comparação com empregos de serviço ao cliente, que envolvem interação com pessoas.

A Target, por exemplo, contratará um recorde de 120.000 trabalhadores sazonais, 20 por cento a mais do que no ano passado, e pagará a eles o novo salário inicial da empresa, de US$ 12 por hora. O aumento dos salários dos funcionários de depósito para US$ 15 a hora -- incluindo temporários que trabalham apenas na época do Natal -- ajudará a garantir que a Amazon possa encontrar pessoas dispostas a escolher esses trabalhos, que as pessoas ainda fazem melhor do que as máquinas, e não vagas em empresas de varejo tradicionais como Target, Gap e Macy's.

"Especialmente nas festas, quando as pessoas têm muitas opções de trabalho, oferecer US$ 15 por hora ajudará a Amazon a encontrar mais pessoas", disse Jeff Burnstein, presidente da Associação para o Avanço da Automação. "A Amazon precisa contratar muita gente em um curto período de tempo e a dúvida é, quantas pessoas querem fazer esse tipo de trabalho? Oferecer US$ 15 por hora ajudará."

O salário mínimo global por hora torna a remuneração inicial da Amazon ligeiramente melhor do que a média nacional dos EUA. Os trabalhadores de depósito tinham uma mediana de salário por hora de US$ 14,28 em 2017, segundo o Escritório de Estatísticas do Trabalho dos EUA. Os condutores de empilhadeiras e operadores de equipamentos, que precisam ter certificações especiais, tinham mediana salarial por hora de US$ 16,43.

Os aumentos também ajudam a Amazon a neutralizar a pressão política de sindicatos como o United Commercial Food Workers Union, que tem pressionado os políticos a adotarem uma postura mais linha-dura com a empresa em relação ao salário e às condições de trabalho desde a aquisição da Whole Foods Market no ano passado, disse Burt Flickinger, diretor-gerente do Strategic Resource Group. Ainda assim, a principal motivação para aumentar os salários é o mercado de trabalho competitivo e os aumentos pressionarão todas as empresas de varejo, com exceção da Costco Wholesale, que já oferece os melhores salários e benefícios do setor, disse.

Repórteres da matéria original: Spencer Soper em Seattle, ssoper@bloomberg.net;Matthew Boyle em N York, mboyle20@bloomberg.net

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia