ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

BMW afirma que avanço da Tesla pressiona mercado de luxo nos EUA

Gabrielle Coppola

03/10/2018 11h02

(Bloomberg) -- A Tesla tem dores de cabeça até demais hoje em dia, mas ainda assim prejudica os concorrentes no mercado de luxo dos EUA.

Isso é o que afirma a rival BMW, cujos sedãs Série 5 há muito são alvo das ambições da fabricante de carros elétricos. A empresa alemã, que conseguiu um ganho de 1,3 por cento em setembro com a força de seu crossover X3, afirmou que a Tesla vem intensificando a concorrência em um mercado cada vez menor nos últimos três a quatro meses.

"A Tesla está aumentando seus volumes, o que pressiona esse segmento de mercado", disse Bernhard Kuhnt, CEO da BMW na América do Norte, em entrevista na terça-feira. "Nesse contexto, fico muito, muito satisfeito em dizer que registramos uma alta."

Enquanto a BMW apresentava uma versão renovada de seu sedã Série 3 na terça-feira no Salão do Automóvel de Paris, a Tesla informou ter entregue 83.500 veículos no terceiro trimestre, o suficiente para indicar que a companhia está avançando no mercado de carros de passageiros nos EUA.

A BMW está se preparando para a batalha com uma linha expandida de crossovers e SUVs, incluindo o X7, seu primeiro SUV completo, que deve sair no início do próximo ano. O próximo veículo elétrico a bateria da BMW, o iX3, não estará pronto antes de 2020. Até lá, a Daimler e as marcas Audi e Porsche, da Volkswagen, devem ter uma lista de "mata-Teslas" chegando ao mercado, mas ainda não se sabe se as marcas tradicionais conseguirão vender veículos elétricos. A Jaguar planeja começar a entregar seu I-Pace elétrico para clientes dos EUA no próximo mês.

Futuros elétricos à parte, setembro foi mais um mês de baixa para a Lexus, da Toyota Motor, e para a Mercedes-Benz, da Daimler, que detém a coroa do luxo nos EUA dos últimos dois anos.

As entregas da Mercedes caíram 9,8 por cento porque o C-Class, seu sedã mais vendido, caiu 24 por cento, e seus crossovers também caíram, com exceção do GLC, que deu um salto de 30 por cento. Foi o quarto mês consecutivo de quedas da Mercedes, que agora detém uma vantagem de apenas 319 unidades sobre a rival alemã BMW até setembro. As entregas da Lexus caíram 6,1 por cento.

As fabricantes de carros premium tiveram que refazer suas ofertas para agradar aos consumidores loucos por SUV nos EUA, ao mesmo tempo em que se defendiam da Tesla e de nomes de nicho como Maserati, Ferrari e Aston Martin no setor de alta gama, disse Maryann Keller, consultora do setor em Stamford, Connecticut.

"Há um grupo de nicho de produtores de veículos exóticos que individualmente não vendem muitos carros, mas, coletivamente, agora estão no topo da categoria de luxo", disse ela. "O mercado de carros de luxo ficou muito diferente."

Mais Economia