ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Espanha flexibiliza regras para abastecimento de carro elétrico

Mathew Carr e Reed Landberg

03/10/2018 15h22

(Bloomberg) -- Dentro de algumas semanas, a Espanha deve autorizar o abastecimento de veículos elétricos por qualquer empresa, contribuindo para a migração para o transporte limpo.

O país vai suspender regras que exigem o registro de quem vende serviços de abastecimento, revelou o secretário de Estado de Energia, José Dominguez Abascal. "Estamos tentando emplacar isso o máximo possível", disse ele em entrevista realizada durante a cúpula Bloomberg NEF, em Londres.

Hotéis e centros de convenções estão entre os negócios que poderão oferecer os serviços, contanto que a rede elétrica de cada um cumpra determinadas exigências técnicas e a oferta esteja contratada, explicou ele. "A liberação do sistema sairá em semanas e entrará em vigor imediatamente."

Os subsídios aos veículos elétricos serão mantidos enquanto o governo trabalha em uma nova legislação de "mobilidade elétrica".

O novo governo assumiu em junho prometendo aprovar leis de apoio à produção de energia renovável. Muitos desses projetos estão sendo desenvolvidos no país, uma vez que o governo anterior promoveu leilões para ajudar a Espanha a atingir as metas estabelecidas pela União Europeia.A petrolífera Repsol e a empresa de eletricidade Endesa estão entre as companhias locais que constroem redes de abastecimento de veículos elétricos.

Essa rede será responsável por absorver a nova demanda, disse Dominguez Abascal, que já foi copresidente da companhia de energia renovável Abengoa.

Avanço da energia solar

Os projetos de energia solar estão em franca ascensão na Espanha, embora o governo ofereça pouco em termos de subsídios para o segmento, acrescentou o secretário.

Estão sendo construídos cerca de 5 gigawatts em parques solares que dependem somente de acordos de compra de energia ou da venda de eletricidade a preços de mercado, ele explicou. A Espanha tinha quase 7,3 gigawatts em capacidade instalada em 2016, de acordo com dados da Bloomberg NEF.

"Não estamos pensando de maneira alguma em subsídios", disse Dominguez Abascal. "Neste momento, a forma mais barata de se produzir eletricidade na Espanha é o sol. Há gigawatts sendo construídos sem que o governo tenha qualquer conhecimento."

Existe oferta suficiente de gás natural quando a energia renovável não é adequada, disse ele.

Há uma década, tarifas de incentivo à energia renovável fizeram da Espanha um dos mercados mais promissores para energia solar.

Porém, um avanço descontrolado fez com que o governo cortasse os incentivos para reduzir o ônus sobre os cofres públicos. Os empreendedores estão voltando na esteira da queda acentuada no custo dos painéis solares.

--Com a colaboração de Rodrigo Orihuela e Jonathan Tirone.

Repórteres da matéria original: Mathew Carr em London, m.carr@bloomberg.net;Reed Landberg em Londres, landberg@bloomberg.net

Mais Economia