ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Nespresso cria cápsulas maiores para manter liderança

Corinne Gretler

05/10/2018 12h20

(Bloomberg) -- O sistema de cápsulas de café Nespresso é criticado por ser considerado um aparelho caro e antiecológico que ocupa lugar na bancada da cozinha. A Nestlé acha que deveríamos provar um segundo sistema.

A gigante suíça do setor de alimentos está introduzindo na Europa uma máquina que usa o mesmo princípio da máquina de café expresso original publicitada por George Clooney, mas com algumas diferenças notáveis: as cápsulas são maiores, para preparar uma xícara maior, o que significa que elas são incompatíveis com as máquinas Nespresso atuais. Mas elas estão protegidas por uma patente que dura muitos anos, o que permite que a Nestlé se consolide em um mercado que fugiu de seu controle porque as cápsulas menores competem com modelos de imitação.

A Nestlé precisa dar passos ousados se quiser preservar a liderança no tumultuado mercado de café, que está passando por uma grande transformação com a chegada de novos participantes como a Coca-Cola e com a série inabalada de aquisições de marcas de café pela JAB Holding, que já dura anos. A Nestlé respondeu com jogadas estratégicas como a compra de uma fatia majoritária da Blue Bottle Coffee, uma empresa americana de nicho que é popular entre os millennials, e o investimento pesado na parceria com o Starbucks.

A Nestlé originalmente criou o sistema, chamado Vertuoline, para o mercado americano, há alguns anos, porque os consumidores do país preferem porções maiores do que o diminuto café expresso. Agora, a empresa está apostando que o resto do mundo também quer porções maiores. Após uma investida inicial na França e no Reino Unido, a empresa mira mais oito países até o fim do ano.

A empresa, que lançou iniciativas de reciclagem de cápsulas Nespresso para contornar as críticas a respeito dos resíduos que produz, pode ter que ser ainda mais convincente para atrair mais compradores. As cápsulas maiores custam quase o dobro de muitas das menores. E além disso, há o risco de provocar brigas domésticas a respeito do uso do escasso espaço na bancada da cozinha.

A Vertuoline, que possui uma enorme quantidade de patentes até 2030, pelo menos, permite que os consumidores escolham entre cinco tamanhos de xícara e funciona apenas com cápsulas com códigos de barra inscritos nas bordas. A máquina é vendida por US$ 199 nos EUA, enquanto a Nespresso Essenza Mini sai por US$ 149. Os clientes da França que se inscreverem para receber cápsulas por pelo menos um ano ganharão uma máquina por um preço nominal de 1 euro.

Uma cápsula grande Vertuoline custa até US$ 1,20, 67 por cento mais do que uma cápsula original da Master Origin. O preço na Europa é de 70 centavos de euro para as opções mais caras, mas também há porções de café expresso que custam 45 centavos de euro, pouco mais do que as cápsulas pequenas.

"Eu não me importaria de usar exclusivamente as cápsulas da Vertuoline", disse Katharina Seyffart, 40, gerente de produto em Duderstadt, Alemanha, que gosta de tomar uma xícara de café grande de manhã e um café expresso à tarde e mostrou interesse no novo aparelho. "Mas eu provavelmente venderia a minha Nespresso atual no eBay devido à falta de espaço na cozinha."

Mais Economia