ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Ex-bilionário indiano e UBS disputam posse de casa em Londres

Kaye Wiggins

09/10/2018 14h47

(Bloomberg) -- O UBS Group está tentando executar um empréstimo hipotecário de 20,4 milhões de libras esterlinas (US$ 26,6 milhões) para ficar com a casa do ex-bilionário Vijay Mallya em Londres, um imóvel com vista para o Regent's Park da capital.

O banco busca a posse do imóvel, que Mallya - um magnata indiano que luta para não ser extraditado em outro caso - usava como residência familiar. O UBS afirma que a Rose Capital Ventures, a empresa que tomou a hipoteca, não a quitou.

Mallya, uma personalidade destacada na Índia, onde é chamado de "Rei dos Bons Tempos", esperava transformar o local - usado anteriormente como escritório - em uma "bela residência palaciana" que seria "muito chique", disse o advogado do UBS, Thomas Grant, a um tribunal em Londres na segunda-feira.

"No fim das contas, simplesmente estamos afirmando que você não pagou seu empréstimo hipotecário no prazo e, portanto, queremos receber uma compensação, que é a posse", disse Grant.

A Rose tem sede nas Ilhas Virgens Britânicas e pertence a um fundo familiar de Mallya, segundo documentos apresentados pelo UBS ao tribunal de Londres que atribuem as informações a Mallya. Um porta-voz do UBS e um advogado que representa Mallya e a Rose Capital Ventures preferiram não comentar.

Este é o mais recente de uma série de processos contra Maliya, de 62 anos, em Londres. A fonte de seus problemas judiciais internacionais é mais de 1 bilhão de libras em empréstimos que ele contraiu para sua extinta Kingfisher Airlines. Disputas pelos empréstimos levaram à apresentação de processos civis na Índia e no Reino Unido e de acusações de fraude criminal.

Mallya foi preso em Londres em abril de 2017 e também luta - em outro tribunal, a alguns quilômetros de distância, no outro lado da cidade - para não ser extraditado para a Índia por causa das acusações de fraude. O magnata chegou a ter que se virar com 5.000 libras por semana em meio a processos civis para receber o dinheiro, de acordo com documentos apresentados ao tribunal.

'Expectativa legítima'

Advogados de Mallya e da Rose dizem que o UBS exigiu o pagamento da hipoteca antes do prazo sem dar explicações, depois de o banco ter criado "uma expectativa legítima" de que não faria isso. Isso foi "injusto" e fez com que a Rose não conseguisse quitar o empréstimo, segundo documentos apresentados por eles.

O UBS afirma que exigiu o pagamento do empréstimo, em junho de 2016, porque decidiu "encerrar seu relacionamento" com Mallya e "entidades associadas", entre elas a Rose, depois que a imprensa identificou Mallya como "inadimplente intencional" no caso da Kingfisher Air. De qualquer forma, afirma o banco, o empréstimo de cinco anos venceu em março de 2017.

Mallya, Sidharta, seu filho, e Lalitha. sua mãe, têm o direito de permanecer no imóvel, de acordo com uma "licença contratual irrevogável" da Rose, que detém a residência para deles, segundo documentos apresentados por eles ao tribunal em maio.

Mais Economia