ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Veterano em Brasil diz que real pode ganhar 10% com Bolsonaro

Ben Bartenstein

09/10/2018 13h12

(Bloomberg) -- A euforia com Jair Bolsonaro só começou, diz Monty Guild Jr., veterano gestor de fundo que projetou corretamente um rali das ações e da moeda brasileiras dois anos atrás.

A liderança do candidato Jair Bolsonaro no primeiro turno torna mais provável sua vitória na disputa de 28 de outubro, disse Guild, que tem investido internacionalmente há cinco décadas. Ele espera que o real se aprecie pelo menos 10% e leve dólar para R$ 3,4 nos próximos meses, na medida em que os investidores saúdam o plano fiscal elaborado pelo seu provável ministro da Fazenda, Paulo Guedes, que tem doutorado em Economia pela University of Chicago.

"Não sabemos o quão bem-sucedido ele será com suas políticas econômicas, mas ele vai encorajar mais otimismo, uma sensação maior de segurança para o público, menos crime e uma perspectiva mais amigável para negócios", disse Guild, fundador e diretor de investimentos da Guild Investment Management.

A ansiedade do investidor brasileiro, medida pela volatilidade implícita do real em um mês, registrou a maior queda em quatro anos na segunda-feira, após Bolsonaro superar as expectativas com a conquista de uma vantagem de 17 pontos ante o candidato do PT, Fernando Haddad, no primeiro turno. A probabilidade de vitória de Bolsonaro subiu para 75%, disse Christopher  Garman, diretor executivo da Eurasia para as Américas.

Guild previu um rali das ações e da moeda brasileiras em março de 2016, dizendo que a ampla investigação sobre corrupção em andamento abriria caminho para a recuperação. O call fora do consenso da época foi um bom conselho, com o real se valorizando 9% nos 24 meses após a previsão, e o Ibovespa disparando 84% em dólar.

O investidor diz agora que o real representa a única exposição de seu fundo em mercados emergentes neste ano traumático para essa classe de ativos. Uma parcela grande dos US$ 180 milhões sob gestão do fundo está parada em posições cash diante da recente volatilidade, disse.

Mais Economia