ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Ferramentas do Google já sabem o que você fez no próximo verão

Nikki Ekstein

05/11/2018 16h15

(Bloomberg) -- No mundo das viagens de luxo, dois superpoderes prevalecem acima de tudo: personalização e intuição. Quanto melhor um hotel, um aplicativo ou uma agência de viagem conseguir atender às necessidades e aos desejos dos usuários - e, idealmente, prevê-los antes que eles se manifestem -, maior a probabilidade de conquistar clientes fiéis.

Mas não é um hotel nem uma agência de viagens que está desvendando esse mistério. É o Google. A gigante da tecnologia está aproveitando suas imensas capacidades de inteligência artificial e aprendizagem de máquina para aprimorar suas ofertas de viagens, que atualmente cobrem de tudo, desde a busca de voos e hotéis até recomendações de atividades, guias de destinos e serviços de mapeamento.

A especialista em tecnologia de viagens Gillian Morris, fundadora do aplicativo de busca de passagens aéreas Hitlist, diz que este é um campo onde o Google tem uma posição única para ter sucesso. "Uma das razões pelas quais é tão difícil inovar e oferecer experiências satisfatórias no setor de viagens é que as empresas raramente sabem algo sobre você; você não faz um login no Kayak nem no Expedia para que eles descubram do que você gosta", explica ela. "É difícil personalizar quando não se tem um perfil claro do viajante. Mas o Google obtém tanta informação através do seu e-mail, das confirmações de voos - de tudo -, que realmente pode oferecer essa experiência de viagem mágica."

A experiência comprova. Nos últimos meses, o Google lançou discretamente uma série de recursos e atualizações com foco em viagens que destacam o quanto sua tecnologia de inteligência artificial se tornou intuitiva. Somando tudo, há motivos suficientes para acreditar que seu próximo agente de viagens poderá muito bem ser um robô do Google.

A seguir, alguns recursos revolucionários para experimentar... ou para evitar, se você estiver mais preocupado com a privacidade do que com ser um dos primeiros a usá-los.

Possíveis viagens

Não importa qual seja a sua pesquisa, o Google está vendo (e se você usar um assistente de voz, como o Google Home, talvez também esteja ouvindo). Mas, pesquisas que parecem aleatórias e provocadas pelo devaneio - talvez "os melhores tacos na Cidade do México" ou "como fazer ioga a cavalo" - oferecem excelentes dicas que informam ao Google aonde você poderia estar interessado em ir no futuro.

Agora, o motor de busca está usando essas pesquisas para arquivar pastas de "possíveis viagens" com informações sobre hotéis, restaurantes e atividades que você já pesquisou em destinos específicos.

Pontuações

Graças a parcerias com sites focados em culinária, como Zagat e Infatuation, o Google sabe muito sobre restaurantes: tudo, desde o quão lotado ou barulhento eles podem ser até como atendem a necessidades dietéticas específicas. E está constantemente criando padrões sobre o que você gosta, com base nos lugares onde você esteve (ou nos lugares que você pesquisou). É aí que entra o Match Score, que combina todas essas informações para prever a probabilidade de você gostar de determinado lugar. Foi lançado em maio e atualmente está restrito a restaurantes, mas pode se expandir para lugares como hotéis.

Previsão de atraso de voos

Se você usa um endereço do Gmail para confirmar reservas de voos, o Google tem uma noção clara de quando - e aonde - você vai viajar. Como também tem acesso a, por exemplo, dados da Autoridade Federal de Aviação dos EUA, dados históricos de status de voo e dados do posicionamento geográfico de aeronaves, o Google também pode informar se seus planos de viagem estão prestes a sofrer um atraso. "Nossos modelos podem chegar a previsões incrivelmente precisas", disse Richard Holden, vice-presidente de gerenciamento de produto do Google, durante um painel de discussão no Skift Forum, uma conferência anual de viagens. "Muitos clientes nos contam que avisamos sobre os atrasos antes que a companhia aérea ou qualquer um."

Mais Economia