ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Segunda sede da Amazon se divide entre duas cidades: Fontes

Spencer Soper, Lily Katz e Henry Goldman

06/11/2018 14h42

(Bloomberg) -- A busca da Amazon por uma segunda sede, que já dura um ano, está chegando ao fim, disseram pessoas com conhecimento do assunto.

A gigante do comércio eletrônico está perto de fechar acordos que dividiriam a nova sede entre dois lugares, disse uma das pessoas que pediram anonimato ao falar sobre assuntos confidenciais. Um dos lugares será a área de Crystal City, em Arlington, no norte da Virgínia, disseram duas pessoas. O outro será Long Island City, no Queens, em Nova York, disseram outras pessoas. Um porta-voz da Amazon preferiu não comentar.

A Amazon anunciou no ano passado planos de investir US$ 5 bilhões em uma segunda sede e de contratar até 50.000 pessoas, o que desencadeou uma onda de interesse em cidades dos EUA e do Canadá. A companhia anunciou 20 finalistas e deve tomar uma decisão final até o final do ano.

O New York Times informou anteriormente que a Amazon estava perto de um acordo para escolher Long Island City, e o Wall Street Journal havia relatado que a Amazon escolherá duas cidades porque considerou que um único lugar não teria suficientes profissionais de tecnologia. O Washington Post informou anteriormente que a Amazon estava em negociações avançadas para abrir sua segunda sede em Crystal City, que fica em frente a Washington, do outro lado do rio Potomac. O bairro concentra arranha-céus de escritórios, hotéis e edifícios residenciais.

A Amazon estimulou um boom econômico em sua cidade natal, Seattle, onde também é frequentemente responsabilizada por problemas de tráfego e pelos custos crescentes de moradias que expulsam moradores da cidade. Ao escolher mais de um lugar, a companhia pode estar tentando evitar críticas de que sua chegada sobrecarregará a infraestrutura local.

"Você poderia olhar para Seattle e ver que a companhia gerou grandes consequências positivas, mas ela provavelmente também gerou algumas consequências indesejadas, que talvez não tenham sido tão bem recebidas", disse Michael Lewis, analista imobiliário da SunTrust Robinson Humphrey. "Dá para ver o que aconteceu com o custo de vida em Seattle."

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, se reuniu com executivos da Amazon há duas semanas para conversar sobre a mudança da empresa para Long Island City, disse uma pessoa com conhecimento do assunto. Isso colocaria as operações em uma região do Queens que fica diretamente na frente de Manhattan, do outro lado do rio East. O prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, também se reuniu com executivos da Amazon na mesma época, disse uma autoridade municipal. O gabinete do prefeito tem realizado visitas à área desde abril e convocou autoridades de várias universidades da cidade de Nova York para delinear maneiras de atender às necessidades da Amazon, disse essa pessoa.

A Amazon tem mais funcionários nas duas áreas selecionadas do que em qualquer outro lugar fora de Seattle, onde fica sua sede principal, e da área da baía de São Francisco, de acordo com o New York Times.

Algumas das cidades finalistas estão situadas perto umas das outras e recorrem aos mesmos grupos de mão de obra. Nova York e Newark, Nova Jersey, estavam entre as finalistas, assim como Washington, no norte da Virgínia, e o condado de Montgomery, em Maryland. A Amazon poderia ter escolhido uma única região metropolitana, mas ainda assim teria de negociar incentivos fiscais com vários estados e governos locais.

Repórteres da matéria original: Spencer Soper em Seattle, ssoper@bloomberg.net;Lily Katz em N York, lkatz31@bloomberg.net;Henry Goldman em New York, hgoldman@bloomberg.net

Mais Economia