ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Uber vai triplicar número de entregadores de alimentos na Europa

Giles Turner

06/11/2018 11h42

(Bloomberg) -- A Uber Technologies anunciou que vai triplicar o número de funcionários que trabalham na entrega de alimentos na Europa, no Oriente Médio e na África em sua disputa por participação de mercado contra rivais locais, como a Deliveroo e a Just Eat.

O braço de entrega de restaurantes da maior empresa de transporte particular do mundo, chamado Uber Eats, representa mais de 10 por cento das reservas brutas da companhia. A Uber também está expandindo a forma como os usuários podem pagar pelos alimentos e tenta gerar mais negócios através de seu site, em vez do aplicativo, disse Rodrigo Arévalo, diretor da Uber Eats na região EMEA.

A Uber Eats deve aumentar sua equipe na EMEA no próximo ano, de 300 para 900, disse Arévalo. Os motoristas transportam pedidos de restaurantes em mais de 200 cidades em 20 países da região, e o serviço estreou em Londres em 2016.

A empresa agora procura maneiras de atrair mais usuários para seu site, na tentativa de roubar clientes da rival Just Eat. A grande maioria dos pedidos da Uber Eats na EMEA - cerca de 84 por cento - é feita por meio de seu aplicativo. Na Just Eat, o número de usuários que pede comida pelo celular está mais perto da metade, de acordo com documentos da empresa.

A expansão da Uber Eats não é imune a problemas. No final de outubro, um tribunal de Londres ponderou se os motoristas da Uber são realmente autônomos, como afirma a empresa. Se a companhia for forçada a tratar os motoristas como trabalhadores aptos a receber salário mínimo e férias, empresas com modelos semelhantes - como Uber Eats e Deliveroo - podem ter que fazer o mesmo.

Negociar o leque de opções de pagamento em toda a região também tem sido um desafio. "No Egito, 94 por cento das transações financeiras são feitas em dinheiro", disse Arévalo. "Na Holanda, 90 por cento dos pagamentos eletrônicos são feitos com o iDEAL."

A Uber Eats está adotando métodos de pagamento locais em distintas regiões. Em agosto, o serviço holandês de pagamento para o comércio eletrônico iDEAL foi incorporado a seu aplicativo e, na França, os usuários podem pagar com vales-refeição pré-pagos. Neste ano, a companhia também liberou os pagamentos em dinheiro na Arábia Saudita, no Egito e na África do Sul.

A Uber Eats e a Deliveroo também estão disputando os chamados restaurantes virtuais, estabelecimentos que alugam espaço de cozinha para preparar comida para mensageiros. Sem salões de jantar nem garçons, esses lugares surgem onde as empresas de entrega de alimentos projetam demanda e vendem suas refeições através do aplicativo Uber Eats ou Deliveroo. A Deliveroo conta com mais de 400 restaurantes virtuais em sua plataforma no Reino Unido. A Uber Eats espera ter um número semelhante no país até o final do ano, disse Arévalo.

A Uber Eats continua aberta a mais negócios. Em maio, adquiriu a Ordertalk, uma empresa com sede em Dallas e foco em software de pedidos on-line. A Uber estava em negociações iniciais para comprar a empresa de entrega de alimentos Deliveroo, informou a Bloomberg em setembro.

"Será que alguma coisa vai acontecer com Deliveroo e Uber? Quem sabe?", disse o CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, no mês passado. "Mas neste momento, o foco está na expansão orgânica. Não quero comentar nomes específicos, mas estamos constantemente conversando com todo e qualquer nome por aí."

Mais Economia