ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

BT e HP planejam formar estoque por conta do Brexit: Fonte

Suzi Ring e Thomas Seal

09/11/2018 15h22

(Bloomberg) -- A BT Group e a HP estão planejando estocar produtos devido à proximidade da saída do Reino Unido da União Europeia, unindo-se ao grupo de empresas que busca evitar possíveis interrupções.

A BT, o antigo monopólio de telefonia do Reino Unido, está procurando formas de armazenar equipamentos de rede, disse Bas Burger, CEO da BT Global Services, em entrevista. A HP discute ocupar espaço de estoque em Birmingham para armazenar produtos extras, disse uma pessoa com conhecimento da situação, que pediu para não ser identificada porque as negociações são privadas.

"Claramente precisamos de estoque no Reino Unido", disse Burger. Caso contrário, é possível que "não consigamos equipamentos com a rapidez suficiente". Uma porta-voz da HP afirmou que a empresa de tecnologia americana não comenta seus planos para o Brexit.

Empresas de vários setores começaram a estocar mercadorias porque a perspectiva de manter um comércio sem atritos com a UE depois de março de 2019 continua em dúvida. A fabricante de cerveja holandesa Heineken está armazenando bebidas extras e a Imperial Brands está construindo um estoque de cigarros de 30 milhões de libras (US$ 39 milhões), segundo informações que surgiram nesta semana.

Todas as grandes empresas farmacêuticas estão armazenando medicamentos depois que o governo britânico recomendou que um adicional de seis semanas de fornecimento fosse reservado para evitar interrupções.

A BT também está pronta e tem capacidade para redirecionar as cadeias de abastecimento para que não passem pelo Reino Unido em nome de suas clientes multinacionais, como bancos internacionais e outras empresas da Fortune 500, disse Burger. A empresa vem procurando uma nova base de proteção de dados na UE para permitir a continuidade da livre circulação de dados após o Brexit, disse uma pessoa a par das discussões à Bloomberg News, em junho.

Os planos são um indicativo de como as empresas de tecnologia e de telecomunicações estão se preparando para o Brexit depois que ambos os setores mantiveram relativo silêncio a respeito do assunto. Muitas já têm centros na UE, o que talvez ajude a facilitar a transição. No mês passado, a Panasonic transferiu sua sede europeia do Reino Unido para Amsterdã, onde já ficava a sede da holding da empresa japonesa.

--Com a colaboração de Nico Grant e Benjamin Katz.

Repórteres da matéria original: Suzi Ring em Londres, sring5@bloomberg.net;Thomas Seal em Londres, tseal@bloomberg.net

Mais Economia