PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

China repreende Dolce & Gabbana por vídeos ofensivos

Bloomberg News

22/11/2018 14h48

(Bloomberg) -- Milhares de produtos da marca Dolce & Gabbana foram retirados dos maiores sites de compras da China depois que o marketing da grife italiana descarrilou em um país que está impulsionando o crescimento do setor.

Apelos por um boicote contra a grife conquistaram adeptos depois que uma campanha em vídeo mostrou uma modelo chinesa sofrendo para comer espaguete com palitinhos - uma representação criticada como racista e insensível - e que mensagens incendiárias supostamente publicadas pela conta do cofundador Stefano Gabbana no Instagram se tornaram virais.

Esta é a mais recente reação adversa ao marketing de uma empresa ocidental na China, cujos consumidores gastaram mais de US$ 100 bilhões em compras de luxo no ano passado - quase um terço do total global - e não estão mais dispostos a tolerar campanhas consideradas paternalistas ou desrespeitosas. Em um momento em que as redes sociais dão um megafone a esses consumidores, marcas como Christian Dior, da LVMH, Mercedes-Benz, da Daimler, e a rede de roupas Gap, entre outras, foram criticadas por seus erros.

O site de comércio eletrônico transfronteiriço Yangmatou afirmou na noite de quarta-feira que havia retirado 58.000 produtos da D&G, porque "a Pátria é mais importante do que qualquer outra coisa". A NetEase informou que todos os itens da D&G foram removidos de suas plataformas de compras Kaola.

A D&G foi forçada a adiar um desfile de moda em Xangai na quarta-feira, horas antes do início do evento, porque celebridades anunciaram que não compareceriam. Um comentário na conta do jornal chinês Diário do Povo no WeChat afirmou que o governo tinha emitido um aviso de cancelamento para o evento e avisou: "Quem não estiver disposto a entender a China acabará perdendo o mercado chinês e os benefícios decorrentes do crescimento da China".

Os consumidores do país tornaram-se cada vez mais rápidos em denunciar marcas que fazem propagandas que eles consideram condescendentes, inadequadas ou racistas. Alguns sentiram que o vídeo da D&G abusava dos estereótipos ocidentais de turistas chineses que levam palitinhos consigo e têm dificuldade para comer a culinária ocidental - embora tenham dinheiro para comprar roupas de grife.

A mais recente polêmica surgiu na quarta-feira por causa de uma campanha publicitária com clipes que mostram uma modelo chinesa usando um vestido vermelho de lantejoulas da D&G e tendo dificuldade para comer pratos italianos, como espaguete e cannoli, com um par de palitinhos. Com uma música tradicional chinesa de fundo, uma sugestiva voz masculina em off pede que a atriz tente comer o cannoli: "É muito grande para você?"

No portal de compras Tmall, da gigante da internet Alibaba Group Holding, uma pesquisa por D&G em inglês e chinês não apresentou nenhum resultado, assim como uma busca por itens da D&G no site da JD.com. Alibaba e JD.com não responderam imediatamente aos pedidos de comentários, e a Dolce & Gabbana não respondeu imediatamente a um pedido de comentários sobre a retirada dos itens. A marca de capital fechado tem vendas de quase 1 bilhão de euros (US$ 1,1 bilhão), segundo dados da Bloomberg.

Os vídeos foram postados originalmente no Weibo, um serviço de microblogs chinês, e foram deletados depois do grande alvoroço nas redes sociais. Os clipes ainda podem ser visualizados na conta do Instagram da empresa.

--Com a colaboração de Jihye Lee e Robert Williams.

To contact Bloomberg News staff for this story: Rachel Chang em Shanghai, wchang98@bloomberg.net;Huang Zhe em Pequim, zhuang37@bloomberg.net