ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Apple ficará de fora da adoção rápida da tecnologia 5G, dizem fontes

Ian King, Mark Gurman e Scott Moritz

03/12/2018 14h28

(Bloomberg) -- A Apple planeja adiar pelo menos até 2020 a venda de um iPhone capaz de se conectar com a próxima geração de serviços de telefonia de alta velocidade que chegará no ano que vem, segundo pessoas informadas sobre os planos.

O atraso pode facilitar a tarefa de concorrentes como a Samsung Electronics de conquistar consumidores para telefones que se conectam a redes 5G, que proporcionarão um salto nas velocidades dos dados móveis quando forem lançadas, em 2019.

A exemplo do que fez com o 3G e o 4G, as duas gerações anteriores de tecnologia móvel, a Apple esperará um ano após a implementação inicial das novas redes para incluir a capacidade de acesso a elas em seu principal produto, disseram as pessoas, que pediram para não ser identificadas por discutirem planos da empresa.

Os cálculos anteriores da Apple -- comprovadamente corretos -- apontavam que as novas redes e as primeiras versões de smartphones rivais viriam com problemas como cobertura irregular, deixando os consumidores menos inclinados a dar um salto imediato. Desta vez, os defensores do 5G argumentam que a mudança oferece uma melhora muito maior da velocidade, o que torna a decisão da Apple de esperar mais arriscada. As redes abrirão as portas para novos tipos de computação móvel, segundo os defensores do 5G.

A decisão de esperar pode estar relacionada à rivalidade da empresa com a Qualcomm, líder em chips com capacidade 5G, e sua aliança com a Intel, que não terá chips disponíveis a tempo para os telefones em 2019.

A Apple não respondeu aos pedidos de comentário.

No passado, a empresa com sede em Cupertino, Califórnia, não enfrentou problemas por esperar um ano depois de boa parte da concorrência lançar telefones compatíveis com as redes sem fio mais recentes à época. Em 2007, o iPhone original estava tão à frente dos concorrentes que sua conexão mais lenta, conhecida como 2G EDGE, não foi fator decisivo para os primeiros usuários. Até mesmo o iPhone 4S, com características chamativas como a estrutura de aço inoxidável e a promessa da Siri, foi suficiente para alguns ignorarem a ausência das velocidades reais da tecnologia 4G LTE.

Mas em 2019 as condições mudaram: o salto do 4G para o 5G é significativo o bastante para se tornar um grande argumento de venda para novos aparelhos. A Samsung planeja ter telefones 5G na linha Galaxy no ano que vem. E na China -- o maior mercado de smartphones --, produtoras importantes como Oppo e Huawei Technologies também indicaram que planejam oferecer telefones 5G.

"A Apple sempre foi uma retardatária em termos de tecnologia para celulares", disse Mark Hung, analista da Gartner. "Eles não foram afetados no passado, mas o 5G será muito mais fácil de comercializar. Se deixarem para depois de 2020, acho que serão afetados."

Repórteres da matéria original: Ian King em São Francisco, ianking@bloomberg.net;Mark Gurman em San Francisco, mgurman1@bloomberg.net;Scott Moritz em New York, smoritz6@bloomberg.net

Mais Economia