ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Investidores de ETF despejam dinheiro no México

Carolina Wilson, Aline Oyamada e Vinícius Andrade

03/12/2018 19h45

(Bloomberg) -- A pressa para investir em mercados emergentes está levantando uma das partes politicamente mais voláteis da América Latina - o México.

Com o MSCI Emerging Markets Index subindo mais de 6% desde 31 de outubro, o iShares MSCI Mexico ETF, ou EWW, teve um fluxo positivo de mais de US$ 183 milhões em novembro, maior volume desde dezembro de 2016. Essa é uma reviravolta dramática em relação ao início do mês, quando os ativos do maior fundo que acompanha ações mexicanas caíram para menos de US$ 720 milhões, o menor nível mais de nove anos, impulsionado por um fluxo de saída em 8 de novembro, que foi o maior desde 2011.

Além disso, EWW conseguiu trazer dinheiro mesmo quando o peso do México sofreu um golpe, estendendo a forte venda observada em outubro, com os investidores preocupados com as políticas do presidente, Andres Manuel Lopez Obrador. Empossado em 1º de dezembro, Obrador sacudiu os investidores com algumas de suas ações hostis ao mercado, incluindo a decisão de se desfazer um aeroporto de US$ 13 bilhões.

O preço do EWW caiu para o menor nível desde julho de 2009 em 26 de novembro, oferecendo uma grande oportunidade de compra para investidores que buscam aumentar a exposição a mercados emergentes em meio ao ambiente favorável a ativos mais arriscados.

O maior fundo que acompanha ações brasileiras também registrou um aumento em novembro. O iShares MSCI Brazil ETF ou EWZ, teve fluxo positivo de US$ 561 milhões no mês passado, maior montante desde fevereiro de 2017, em meio ao compromisso assumido pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de adotar uma agenda pró-negócios, incluindo uma revisão no sistema previdenciário do país e planos de privatização.

--Com a colaboração de Tom Lagerman.

Repórteres da matéria original: Carolina Wilson em New York City, cwilson166@bloomberg.net;Aline Oyamada em São Paulo, aoyamada3@bloomberg.net;Vinícius Andrade em Sao Paulo, vandrade3@bloomberg.net

Mais Economia