ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Bilionário Jack Ma aplica análise de dados ao esporte na China

Bloomberg News

06/12/2018 15h00

(Bloomberg) -- Pense em como seria aplicar o filme "O homem que mudou o jogo" ao comércio eletrônico.

Assim como as equipes esportivas profissionais têm usado grandes quantidades de dados para maximizar o desempenho, o bilionário chinês Jack Ma está recorrendo a análises para tirar o máximo proveito dos fãs e mudar a forma de gerenciar eventos esportivos e de comprar equipamentos esportivos.

Após o início como um serviço que permite que os usuários monitorem seus treinos, uma unidade da Alibaba Group Holding, pertencente a Ma, está migrando para os esportes organizados. Usando as maratonas como cobaia, a empresa está adquirindo direitos de transmissão e coletando informações sobre participantes e espectadores para vender de tudo a eles, desde tênis até planos de saúde. Os fãs que assistem ao evento no serviço de streaming da empresa, o Youku, podem até enviar presentes virtuais e dicas aos seus corredores favoritos.

A estratégia, então, será replicada pela Alisports em outros campos, incluindo eSports, futebol e basquete, para garantir uma fatia do setor esportivo da China que, segundo estimativa do governo, poderia valer 5 trilhões de yuans (US$ 728 bilhões) em 2025.

"Somos uma plataforma que registra big data sobre esportes", disse Zhang Dazhong, CEO da Alisports, em entrevista. "Os espectadores que assistem a eventos esportivos atualmente em nossos websites são diretamente conectados às lojas de comércio eletrônico, algo antes impossível."

A meta de Zhang é expandir o negócio criado há três anos para mais de 100 milhões de usuários até novembro de 2019, triplicando o nível atual. A Alisports buscou recursos para ajudar a atingir a meta, levantando mais de 1,2 bilhão de yuans em uma rodada de financiamento série A, em abril, com uma avaliação de mais de 8 bilhões de yuans.

Com sede em Xangai, e não em Hangzhou como a Alibaba, a Alisports está instalada em um centro esportivo de estilo da era Mao. A empresa modernizou o escritório com fileiras de mesas e espaços abertos que incentivam os funcionários a fazer exercício. Além disso, conta com cabines de estúdio e telas azuis para sua equipe de produção de vídeos.

Apesar de os aplicativos de boa forma e os esforços para monetizar os esportes não serem novidade na China, a aposta da Alisports é que sua posição no ecossistema de Ma garantirá uma vantagem. A Alibaba se expandiu para ir além do comércio eletrônico e agora inclui computação em nuvem, logística, viagens e entretenimento. Sua afiliada de pagamentos digitais Alipay conta com mais de 700 milhões de usuários ativos na China. Usando a tecnologia de reconhecimento facial da empresa controladora, a divisão conseguiu reforçar a integridade de eventos como a maratona de Hangzhou, em novembro, eliminando 11 pessoas que haviam apresentado identidades falsas.

A Alisports rapidamente teve sucesso com as vendas para usuários, a maioria dos quais acessa o serviço por meio do aplicativo Alipay. A empresa vendeu apólices de seguro para mais 770.000 clientes até o fim de novembro sem cobrar comissão.

"A amplitude e o alcance da Alibaba permitiriam que eles tornassem o negócio mais lucrativo do que qualquer outra empresa que tentasse fazer o mesmo", disse Mark Tanner, fundador da empresa de pesquisa e marketing China Skinny, com sede em Xangai.

To contact Bloomberg News staff for this story: Lulu Yilun Chen em Hong Kong, ychen447@bloomberg.net;Allen Wan em Xangai, awan3@bloomberg.net

Mais Economia