ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Reino Unido suspende programa de visto para super-ricos

Tom Metcalf, Alex Morales e Neil Callanan

06/12/2018 13h02

(Bloomberg) -- O Reino Unido está suspendendo a categoria mais elevada de vistos para investidores, fechando uma rota para a residência permanente e para a cidadania britânica que se tornou popular entre os ricos, incluindo oligarcas russos.

O programa de vistos para investidores de categoria 1 (ou tier 1) será suspenso a partir da meia-noite de sexta-feira, antes das reformas destinadas a combater a lavagem de dinheiro e o crime organizado, segundo comunicado do Ministério do Interior. Elas exigem que os candidatos forneçam auditorias de seus interesses financeiros e comerciais e excluem títulos do governo como investimento qualificável. A suspensão será retirada quando as mudanças, previstas para 2019, forem implementadas.

O visto está disponível para quem tem acesso a pelo menos 2 milhões de libras (US$ 2,5 milhões) para investir no Reino Unido e está aberto a pessoas de fora do Espaço Econômico Europeu e da Suíça. Programas de imigração apoiados pelo governo como este não são incomuns. Os EUA mantêm um programa de imigração, conhecido como visto EB-5, que permite que imigrantes que geram empregos nos EUA fiquem no país permanentemente.

A medida pode prejudicar pessoas em todo o mundo, mas os oligarcas russos podem ser os mais afetados pela mudança. O Reino Unido é há tempos uma jurisdição particularmente atraente para os russos ultrarricos por ser um lugar seguro e estável para fazer negócios, manter sua riqueza e educar seus filhos. Mas a suspensão é o sinal mais recente de que esse apelo pode estar desaparecendo com a repressão governamental após o envenenamento de um ex-espião russo em solo britânico.

"Não toleraremos pessoas que não cumprem regras e que tentam abusar do sistema", disse a ministra da Imigração, Caroline Nokes, em comunicado. As novas medidas "garantirão que apenas investidores genuínos, que pretendam apoiar as empresas britânicas, possam se beneficiar do nosso sistema de imigração."

--Com a colaboração de Devon Pendleton.

Repórteres da matéria original: Tom Metcalf em N York, tmetcalf7@bloomberg.net;Alex Morales em Londres, amorales2@bloomberg.net;Neil Callanan em Londres, ncallanan@bloomberg.net

Mais Economia