ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

SoftBank contrata sua primeira sócia para Vision Fund

Saritha Rai

07/12/2018 14h39

(Bloomberg) -- A SoftBank contratou a executiva do Facebook Kirthiga Reddy como sócia de seu Vision Fund, de US$ 100 bilhões. Reddy é a primeira mulher a participar do grupo de apenas doze membros que administra o maior conjunto de investimentos em tecnologia do mundo.

Reddy se uniu à SoftBank Investment Advisors, que administra globalmente o gigantesco fundo, para se concentrar na tecnologia empresarial e incipiente no mundo, de acordo com uma porta-voz da SoftBank. Ela trabalhará de perto com o sócio sênior Deep Nishar, acrescentou a porta-voz. Reddy trabalhou no Facebook na Índia e nos EUA durante oito anos e é presidente do Conselho de Gestão da Faculdade de Administração de Stanford, segundo seu perfil no LinkedIn.

Reddy entra em um grupo que ajudou o fundador da SoftBank Group, Masayoshi Son, a organizar uma série de investimentos sem precedente no Vale do Silício, na China e em outros lugares. O Vision Fund comprometeu mais de US$ 65 bilhões para a aquisição de participações em empresas como Uber Technologies, WeWork e a chinesa Didi Chuxing. Em comparação, em 2016, todo o setor de capital de risco dos EUA investiu US$ 75,3 bilhões, segundo a National Venture Capital Association.

Em entrevista em setembro, Son foi questionado pelo fato de todos os sócios do Vision Fund serem homens, e ele disse que não tem "nenhum tipo de preconceito". O diretor do Vision Fund, Rajeev Misra, estava à frente de uma iniciativa para contratar mais mulheres, também no nível de sócio.

Reddy se tornará a primeira sócia de capital de risco do fundo e realizará investimentos. A SoftBank afirmou que ela poderia se tornar uma "sócia de investimento", o que depende, em parte, de ela desejar dedicar todo o seu tempo a essa atividade. A SoftBank anunciou que pretende contratar mais investidoras do sexo feminino, em particular nos mais altos escalões, e está "recrutando ativamente".

Son planeja criar um novo fundo de US$ 100 bilhões a cada dois ou três anos e gastará cerca de US$ 50 bilhões por ano. Para ajudar a administrar esse dinheiro, ele disse que queria aumentar o número de negociadores de cerca de 30 para 300 nos próximos anos.

Os sócios administrativos filtram possíveis ideias de investimento e realizam uma conferência semanal para discutir o progresso. Após a verificação das perspectivas, elas vão para um comitê interno de investimento, do qual Son participa.

Mais Economia