ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Volvo aposta em caminhões de lixo elétricos para superar Tesla

Niclas Rolander

07/12/2018 12h58

(Bloomberg) -- Dentro de poucos meses, a gigantesca fabricante de caminhões sueca Volvo entregará seu primeiro modelo totalmente elétrico. O veículo de oito rodas movido a bateria percorrerá as ruas da cidade portuária de Hamburgo, no norte da Alemanha, coletando lixo.

O CEO Martin Lundstedt espera avançar devagar na implementação inicial, mas vê o projeto como um prenúncio da rápida proliferação dos caminhões movidos a bateria para transportar mercadorias e lixo em ambientes urbanos.

Há uma disputa em andamento entre grandes fabricantes de caminhões como Daimler e Scania, iniciantes como a Tesla e empresas chinesas para o desenvolvimento de veículos de carga elétricos. O sucesso em Hamburgo colocaria a Volvo em posição mais firme em um mercado emergente tão difícil de avaliar que até gerou piadas entre os executivos.

"O que vemos agora é o início de uma mudança que vai acelerar rapidamente", disse Lundstedt, em entrevista na sede de Gotemburgo, na Suécia, da segunda maior fabricante de caminhões do mundo fora da China.

Chegar à tecnologia certa para os carros de passageiros elétricos é um desafio, mas ainda mais difícil é projetar veículos capazes de transportar cargas muito mais pesadas por longas distâncias sem a necessidade de um oneroso período de inatividade para recarregar.

Em um esforço inicial, a Volvo se concentra em transportar cargas relativamente mais leves pelas cidades. No início do ano, a empresa sueca lançou dois modelos e Lundstedt prevê que "muito mais" de um quarto dos caminhões vendidos para uso urbano provavelmente funcionará com eletricidade dentro de cinco anos.

O motivo é que os custos de operação dos veículos movidos a bateria para tarefas como entregas de pacotes deverão cair rapidamente, transformando-os na opção mais barata a partir de 2025, segundo a Bloomberg New Energy Finance.

A mudança prevista para os motores elétricos no setor de caminhões está dando origem a novos concorrentes. A Tesla está testando um caminhão para cargas pesadas com autonomia de 800 quilômetros e informou que iniciará as entregas no ano que vem.

Esses planos ambiciosos foram recebidos com ceticismo no setor. O diretor de caminhões da Daimler, Martin Daum, disse que as baterias atuais não serão capazes de oferecer a autonomia e a capacidade de carga necessárias.

O CEO da Tesla, Elon Musk, respondeu de forma bem-humorada em uma teleconferência, em 2 de maio.

"Ele não sabe muito de física. Eu o conheço", disse Musk na ocasião. "Eu ficaria feliz de ter uma conversa sobre física com ele. Eu estudei física na faculdade."

Lundstedt é mais cauteloso, dizendo que, apesar de as fabricantes de caminhões consolidadas terem um conhecimento e uma experiência às vezes subestimados, ele não quer correr o risco de parecer ridículo desprezando os planos da Tesla e de outras empresas recém-chegadas.

"Acho perigoso ignorar isso", disse. "Podemos facilmente acabar em uma longa fila de pessoas que perderam o trem por rejeitar algo dizendo ser irrealista."

Mais Economia