ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Wall Street e economistas divergem sobre próximos passos do Fed

Simon Kennedy e Liz Capo McCormick

07/12/2018 12h55

(Bloomberg) -- Muitos operadores em Wall Street duvidam que o banco central dos EUA vai elevar os juros em 2019 e até de um acréscimo agora em dezembro. Já os economistas ainda discutem se o Federal Reserve vai aumentar os juros duas, três ou quatro vezes no ano que vem.

O mercado e os economistas divergem ainda mais após um enorme movimento de reprecificação no mercado futuro de renda fixa na quinta-feira, que agora sugere que o Fed vai aumentar a taxa básica de juros em menos de 0,25 ponto percentual no próximo ano. Esse súbito ajuste coincidiu com o tombo nas bolsas globais diante da volta dos temores em relação à escalada na tensão comercial entre EUA e China.

Mesmo com este pano de fundo e os comentários recentes do presidente do Fed, Jerome Powell, sobre a possibilidade de pausa no aperto monetário, economistas de instituições como Goldman Sachs Group e JPMorgan Chase ainda projetam uma alta nos juros neste mês e mais quatro em 2019. Citigroup e Morgan Stanley concordam sobre o acréscimo em dezembro, mas esperam somente dois no ano que vem. A Bloomberg Economics prevê três.

A aversão a risco e a mudança na perspectiva do Fed derrubaram os rendimentos dos títulos do Tesouro americano, procurados por quem deseja um porto seguro. A taxa do papel com prazo de 10 anos, que é referência, chegou a 2,82 por cento na quinta-feira, o menor patamar desde agosto, enquanto a taxa da nota de 2 anos caiu para 2,76 por cento.

Segue um resumo do que os economistas esperam do Fed e as previsões dos estrategistas das mesmas instituições para o rendimento dos títulos do Tesouro com prazo de 10 anos:

Goldman Sachs Group (Quatro acréscimos nos juros em 2019)

"O tom em relação às expectativas de inflação talvez tenha ficado mais brando. No entanto, achamos que os mercados exageram o tamanho dessa mudança."-- Economista-chefe Jan Hatzius e colegas em relatório divulgado em 30 de novembro* Projeções para o rendimento do título de 10 anos: 3,4 por cento no fim do segundo trimestre; 3,5 por cento em dezembro de 2019

JPMorgan Chase (Quatro acréscimos nos juros em 2019)

"Reconhecemos que um Fed 'dependente dos dados' tomará decisões com base na interação entre desempenho econômico e sua percepção de risco.''-- Economista-chefe Bruce Kasman e colegas em relatório divulgado em 30 de novembro* Projeções para o rendimento do título de 10 anos: 3,5 por cento no fim do segundo trimestre; 3,6 por cento em dezembro de 2019

Morgan Stanley (Dois acréscimos nos juros em 2019)

Até setembro, a expectativa do Fed é "que a economia se desacelere para abaixo do crescimento potencial. O comitê então fará uma pausa, reconhecendo que avançou para sua 'terceira fase', administrando a política monetária ao redor do nível neutro."-- Economista-chefe para os EUA Ellen Zentner e colegas em relatório divulgado em 25 de novembro* Projeções para o rendimento do título de 10 anos: 3,0 por cento no fim do segundo trimestre; 2,75 por cento em dezembro de 2019

Citigroup (Dois acréscimos nos juros em 2019)

"O núcleo da inflação ao consumidor recuando para menos de 2 por cento nos 12 meses até outubro confirmaria a falta de pressão inflacionária e nossa expectativa de juro terminal entre 2,75 por cento e 3 por cento."-- Economista-chefe para os EUA Andrew Hollenhorst em relatório divulgado em 27 de novembro* Projeções para o rendimento do título de 10 anos: 2,85 por cento no fim do segundo trimestre; 2,85 por cento em dezembro de 2019

Bank of America (Quatro acréscimos nos juros em 2019)

"A diretoria do Fed pode comemorar porque a economia está acima do pleno emprego enquanto a inflação está próxima da meta."-- Economista-chefe para os EUA Michelle Meyer em relatório divulgado em 5 de dezembro* Projeções para o rendimento do título de 10 anos: 3,30 por cento no fim do segundo trimestre; 3,25 por cento em dezembro de 2019

Barclays (Quatro acréscimos nos juros em 2019)

"Embora a comunicação recente indique que o comitê debate se há aceleração do crescimento potencial, isso aparentemente implicaria maior juro neutro e maior juro terminal. Considerando nossa previsão de continuidade do crescimento acima do potencial, esperamos que o mercado de trabalho permaneça pujante."-- Chefe de pesquisa macroeconômica Ajay Rajadhyaksha e colegas em relatório divulgado em 6 de dezembro* Projeções para o rendimento do título de 10 anos: 3,0 por cento no fim do segundo trimestre; 3,0 por cento em dezembro de 2019

Société Générale (Dois acréscimos nos juros em 2019)

"A nosso ver, o Fed ainda fará mais um acréscimo neste ano e dois no primeiro semestre de 2019. Isso deixaria a taxa básica de juros entre 2,75 por cento e 3 por cento, em linha com a estimativa do Fed e a nossa para o juro neutro. Esperamos então uma pausa no ciclo de aperto."-- Economista-chefe EUA Klaus Baader e colegas em relatório divulgado em 21 de novembro* Projeções para o rendimento do título de 10 anos: 3,5 por cento no fim do segundo trimestre; 3,1 por cento em dezembro de 2019

Repórteres da matéria original: Simon Kennedy em Londres, skennedy4@bloomberg.net;Liz Capo McCormick em N York, emccormick7@bloomberg.net

Mais Economia