Topo

Mercado residencial mais caro terá projeto de maior densidade

Shawna Kwan

09/01/2019 10h50

(Bloomberg) -- Hong Kong, o mercado imobiliário menos acessível do mundo, deverá obter sua incorporação residencial de maior densidade.

A CK Asset Holdings planeja transformar um hotel nos Novos Territórios em um par de blocos residenciais com 5.000 apartamentos, de acordo com um documento apresentado às autoridades de planejamento. Com 47 andares, isso equivale a uma média de 53 unidades por andar, e este seria o projeto residencial privado de maior densidade da cidade, de acordo com o auditor oficial Vincent Cheung.

Os apartamentos teriam uma média de cerca de 27,8 metros quadrados, disse Cheung. Embora normalmente caiba apenas um quarto neste espaço, as unidades teriam quase o dobro do tamanho dos polêmicos microapartamentos que algumas incorporadoras estão vendendo.

Apartamentos pequenos são populares entre os compradores, porque seus preços mais baixos oferecem uma maneira de adquirir um imóvel na cidade que foi classificada como a mais cara do mundo nos últimos oito anos.

Desde que assumiu o império imobiliário de seu pai, Li Ka-Shing, em março, Victor Li está reconstruindo imóveis antigos da CK Asset para combater a escassez de terrenos na cidade. A incorporadora anunciou no ano passado que vai reformar a Hutchison House, uma torre de escritórios no distrito Central. Também pediu autorização para transformar dois hotéis de Kowloon em escritórios.

O mais recente pedido provavelmente será aprovado, dada a falta de terrenos em Hong Kong, disse Thomas Lam, diretor executivo da Knight Frank. As unidades poderiam chegar a cerca de 150.640 dólares de Hong Kong (US$ 19.206) por pé quadrado, disse ele.

Mais Economia