IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Tiger Woods desafia gerenciamento de risco de casas de apostas

Brandon Kochkodin

13/05/2019 11h29

(Bloomberg) -- Tiger Woods venceu o Masters no mês passado.

Vale a pena lembrar disso quando os assuntos das conversas forem as apostas e o grande evento de golfe desta semana: o PGA Championship de Bethpage Black, em Long Island. A impressionante vitória de Tiger em Augusta é uma questão fundamental para as casas de apostas que tentam administrar riscos. Uma em cada cinco apostas do Masters era em Woods, e ele nem era um dos favoritos.

O retorno de Wood significa que o atleta deve atrair ainda mais dinheiro desta vez, mas, se um livro esportivo tentar redirecionar o fluxo para outros jogadores de golfe ajustando as probabilidades - digamos, deslocando Tiger de uma aposta 8-1 para favorito de 6-1 - o cassino corre o risco de ver o dinheiro ir embora em busca de um prêmio mais alto do outro lado da rua ou um aplicativo no celular.

Precificar Tiger com um valor justo pode ser tudo ou nada para um livro esportivo em qualquer torneio, ainda mais em um dos quatro principais do golfe. Woods é um ecossistema de apostas independente e seu magnetismo atrai mais do que apenas o dinheiro conseguido com as apostas.

"As pessoas estão dispostas a pagar mais para apostar em Tiger Woods", disse Adi Wyner, professor de estatística da Universidade da Pensilvânia. "Os cassinos veem isso como uma grande oportunidade, mas é muito arriscado. Podem atrair muito movimento se oferecerem probabilidades mais próximas da verdade, mas isso pode levar a um desequilíbrio."

A participação de Woods em um torneio pode aumentar os recursos apostados em 20%, segundo Jeff Sherman, vice-presidente de gerenciamento de risco do Westgate Las Vegas SuperBook. Com mais dinheiro chegando, há mais variedade de apostas - apostas em eventos especiais como acertar o buraco na primeira tacada ou se o vencedor estará usando um boné ou viseira.

Os casinos podem eliminar alguns dos riscos, atraindo jogadores com maiores probabilidades para o resto do campo. Isso está criando apostas de valor para a maioria dos melhores jogadores do mundo. Sherman citou o exemplo do espanhol Jon Rahm, cuja probabilidade está em 18-1 e "provavelmente seria 16-1 se não fosse pelo efeito Tiger".

Até agora, esse valor tem atraído dinheiro antecipado, tipicamente mais sofisticado do Station Casinos e SuperBook para jogadores de golfe mais jovens. Tiger, um veterano de 43 anos, não lidera a contagem em nenhum livro esportivo. Tudo isso pode mudar quando as atenções se voltarem para Bethpage.

James Adducci, morador do estado de Wisconsin que ganhou US$ 1,19 milhão com Woods no Masters, já apostou US$ 100 mil no jogador vencendo as três competições restantes nesta temporada para completar o Grand Slam, segundo a Golf Digest.

O recente sucesso de Tiger - sua 15ª grande vitória foi a primeira em uma década - é bem-vindo para o setor, disse Chuck Esposito, diretor de livros esportivos da Station Casinos.

Economia